Ubuntu 11.10 Alpha 2 Lançado

Standard

Ubuntu Kate Stewart has announced the availability of the second alpha release of Ubuntu 11.10, code name “Oneiric Ocelot”: “Welcome to Oneiric Ocelot alpha 2, which will in time become Ubuntu 11.10. Alpha 2 is the second in a series of milestone images that will be released throughout the Oneiric development cycle. New packages showing up for the first time include: Linux Kernel 3.0-rc5, GCC 4.6.1 compiler, Firefox 5.0, Thunderbird 5.0, a Mesa 7.11 snapshot. Alpha 2 ships GNOME 3.0, with some parts already upgraded to the 3.1.2 alpha releases. Unity, the theme, and Ayatana scrollbars were updated for GTK+/GNOME 3. See the release announcement and release notes for full details about this alpha build. Download (SHA256): oneiric-desktop-i386.iso (714MB, torrent), oneiric-desktop-amd64.iso (709MB, torrent). Xubuntu 11.10 alpha 2 (download) and Edubuntu 11.10 alpha 2 (download) can be obtained from usual locations, but Kubuntu 11.10 alpha 2 images will not be available.
Fonte: http://distrowatch.com/6771

Resolvendo problema de brilho Ubuntu 10.04 10.10 11.04 e linux mint 9 e 10 (julia)

Standard

Olá pessoal, voltamos novamente com mais um artigo interessante.

Se você tem um notebook cujo brilho não funciona nem a firme força junto ao Ubuntu 10.04, 10.10, 11.04 ou sob Linux Mint 9 ou 10 (Júlia) acredite, a saída é mais simples do que parece.

Vi casos aonde pessoas indicavam o uso do compiz para “gambiarrar a situação”, aonde o brilho só poderia ser aplicado corretamente em cada janela e não no X por completo.

A saída é simples, mas antes de qualquer coisa, para que fique transparente o hardware que usei (essa dica COM CERTEZA FUNCIONARÁ EM MUITOS HARDWARES) segue abaixo dmidecode junto com lspci:

developer@developer ~ $ sudo dmidecode -s system-product-name
Aspire 7745

developer@developer ~ $ sudo lspci
00:00.0 Host bridge: Intel Corporation Core Processor DRAM Controller (rev 12)
00:02.0 VGA compatible controller: Intel Corporation Core Processor Integrated Graphics Controller (rev 12)
00:16.0 Communication controller: Intel Corporation 5 Series/3400 Series Chipset HECI Controller (rev 06)
00:1a.0 USB Controller: Intel Corporation 5 Series/3400 Series Chipset USB2 Enhanced Host Controller (rev 06)
00:1b.0 Audio device: Intel Corporation 5 Series/3400 Series Chipset High Definition Audio (rev 06)
00:1c.0 PCI bridge: Intel Corporation 5 Series/3400 Series Chipset PCI Express Root Port 1 (rev 06)
00:1c.5 PCI bridge: Intel Corporation 5 Series/3400 Series Chipset PCI Express Root Port 6 (rev 06)
00:1d.0 USB Controller: Intel Corporation 5 Series/3400 Series Chipset USB2 Enhanced Host Controller (rev 06)
00:1e.0 PCI bridge: Intel Corporation 82801 Mobile PCI Bridge (rev a6)
00:1f.0 ISA bridge: Intel Corporation Mobile 5 Series Chipset LPC Interface Controller (rev 06)
00:1f.2 SATA controller: Intel Corporation 5 Series/3400 Series Chipset 4 port SATA AHCI Controller (rev 06)
00:1f.3 SMBus: Intel Corporation 5 Series/3400 Series Chipset SMBus Controller (rev 06)
00:1f.6 Signal processing controller: Intel Corporation 5 Series/3400 Series Chipset Thermal Subsystem (rev 06)
02:00.0 Ethernet controller: Atheros Communications AR8151 v1.0 Gigabit Ethernet (rev c0)
09:00.0 Network controller: Broadcom Corporation BCM43225 802.11b/g/n (rev 01)
ff:00.0 Host bridge: Intel Corporation Core Processor QuickPath Architecture Generic Non-core Registers (rev 02)
ff:00.1 Host bridge: Intel Corporation Core Processor QuickPath Architecture System Address Decoder (rev 02)
ff:02.0 Host bridge: Intel Corporation Core Processor QPI Link 0 (rev 02)
ff:02.1 Host bridge: Intel Corporation Core Processor QPI Physical 0 (rev 02)
ff:02.2 Host bridge: Intel Corporation Core Processor Reserved (rev 02)
ff:02.3 Host bridge: Intel Corporation Core Processor Reserved (rev 02)

 

Como podem ver um hardware que na maior parte dos componentes poderá assemelhar-se com o seu!

Vamos a saída?

 

Primeiro vamos editar o configurador do grug:

 

sudo vim /etc/default/grub

Na tela do Grub teremos de substituir GRUB_CMDLINE_LINUX_DEFAULT=”quiet splash” por GRUB_CMDLINE_LINUX_DEFAULT=”quiet splash acpi_osi=Linux”

Terminado o passo acima temos de atualizar nosso grub para que a configuração venha ser efetivada pós reboot:

sudo update-grub

Fonte

Avaliação (review) Ubuntu 11.04 com Unity (Gestor de Sessão)

Standard

Em primeira mão confesso (litte_oak) que estava com o coração na mão ao ver a Canonical lançar notas informando que seu gestor de sessões seria não mais o poderoso Gnome e sim uma alternativa própria chamada de Unity. Em primeira mão quero dizer que a Canonical fez um trabalho muito requintado na versão 11.04, principalmente no que tange a suporte a dispositivos proprietários. Este Review vai ater-se apenas nos detalhes como drivers, desempenho sob kernel PAE, usabilidade, estabilidade e comodidade.

Suporte a drivers do Ubuntu 11.04

Das coisas que mais me impactaram foi o suporte a dispositivos de notebooks um pouco “atípicos”, isto mesmo, estou redigindo este post em cima de um Acer com 17.3″, com core i3, 4 gb de ram, vga intel 4500 e afins. Em primeira mão quero deixar claro que as ÚNICAS distribuições que deram total suporte ao ACPI deste notebook foram Mandriva, Mageia  e Ubuntu 11.04 alpha. Abaixo segue um lspci para que vocês percebam TUDO que teve suporte nativo e sem qualquer stress:

developer@developer:~$ sudo lspci
00:00.0 Host bridge: Intel Corporation Core Processor DRAM Controller (rev 12)
00:02.0 VGA compatible controller: Intel Corporation Core Processor Integrated Graphics Controller (rev 12)
00:16.0 Communication controller: Intel Corporation 5 Series/3400 Series Chipset HECI Controller (rev 06)
00:1a.0 USB Controller: Intel Corporation 5 Series/3400 Series Chipset USB2 Enhanced Host Controller (rev 06)
00:1b.0 Audio device: Intel Corporation 5 Series/3400 Series Chipset High Definition Audio (rev 06)
00:1c.0 PCI bridge: Intel Corporation 5 Series/3400 Series Chipset PCI Express Root Port 1 (rev 06)
00:1c.5 PCI bridge: Intel Corporation 5 Series/3400 Series Chipset PCI Express Root Port 6 (rev 06)
00:1d.0 USB Controller: Intel Corporation 5 Series/3400 Series Chipset USB2 Enhanced Host Controller (rev 06)
00:1e.0 PCI bridge: Intel Corporation 82801 Mobile PCI Bridge (rev a6)
00:1f.0 ISA bridge: Intel Corporation Mobile 5 Series Chipset LPC Interface Controller (rev 06)
00:1f.2 SATA controller: Intel Corporation 5 Series/3400 Series Chipset 4 port SATA AHCI Controller (rev 06)
00:1f.3 SMBus: Intel Corporation 5 Series/3400 Series Chipset SMBus Controller (rev 06)
00:1f.6 Signal processing controller: Intel Corporation 5 Series/3400 Series Chipset Thermal Subsystem (rev 06)
02:00.0 Ethernet controller: Atheros Communications AR8151 v1.0 Gigabit Ethernet (rev c0)
09:00.0 Network controller: Broadcom Corporation BCM43225 802.11b/g/n (rev 01)
ff:00.0 Host bridge: Intel Corporation Core Processor QuickPath Architecture Generic Non-core Registers (rev 02)
ff:00.1 Host bridge: Intel Corporation Core Processor QuickPath Architecture System Address Decoder (rev 02)
ff:02.0 Host bridge: Intel Corporation Core Processor QPI Link 0 (rev 02)
ff:02.1 Host bridge: Intel Corporation Core Processor QPI Physical 0 (rev 02)
ff:02.2 Host bridge: Intel Corporation Core Processor Reserved (rev 02)
ff:02.3 Host bridge: Intel Corporation Core Processor Reserved (rev 02)

Todos os drivers (módulos) tiveram suporte completo.
Observem que placas Broadcom para WIFI são maioria no mercado de notebooks, então atenha-se a tranquilidade de usar e abusar do Ubuntu em termos de reconhecimento de dispositivos.

Detalhe: Quando falei de ACPI lá em cima me referi também ao controle de brilho e som (100% funcionais, sem gambiarras de ISO_ACPI ou qualquer outra coisa em inicialização do Kernel no Grub).

Desempenho sob kernel PAE

Não costumo apelar para Kernels 64 bits quando tenho apenas 4 gb de ram. Apesar de responderem melhor quando se tem processadores com instruções 64 bits, usar kernel x86_64 me trás uma insegurança no que engloba softwares de terceiros (muita gente só porta código 32 bits) e há de convir que incompatibilidades na vida de quem tem o tempo como dinheiro é coisa hedionda. Abaixo segue a prova do crime:

developer@developer:~$ uname -a

Linux developer 2.6.38-3-generic-pae #30-Ubuntu SMP Thu Feb 10 00:54:59 UTC 2011 i686 i686 i386 GNU/Linux

developer@developer:~$

Eu não sei o que faz dos desenvolvedores do Kernel do Linux seres quase perfeitos, sério mesmo, contemplar uma estabilidade e velocidade nas respostas de comandos e do próprio Unity é de arrepiar. Apesar de não ser “louco” de usar algo alpha (na verdade uma das pouquíssimas experiências Alpha testing que tive) deixo claro que seguir tal caminho junto a Canonical não é em nada arriscado!
Usabilidade
Para quem pensou que os menus seriam obra do capiroto (foi assim que pensei quando vi a nota do Unity) se enganou, no menu inicial (logo do Ubuntu que fica no canto esquerdo superior trás um menu completo com os principais itens que você precisa para ser feliz):
menu 1
Achei interessante a forma de botões que parece até coisa do mac. Aplicativos abertos colocam o menu no canto superior e operam na barra com os menus do aplicativo sobrepondo os menus da barra superior principal, ou seja, “Mac Osx style”? Mas funciona e ficou mais prático!
botoes de menu
O Docky fica muito elegante, e para ser sincero hoje “não vivo mais sem ele”. Para isto instale o mesmo usando os recursos antigos do menu. A Canonical decidiu centralizar o menu de Aplicativos em um lugar só, em órdem alfabética por nomes iniciais do que os aplicativos fazem, porém, com um menu de buscas simples de usar, o qual iremos printar uma tela e mostrar como é fácil chegar na sua central de aplicativos do Ubuntu:
centralVeja algo interessante, o que você usar como termo de busca ele há de mostrar algo caso tenha sido relacionado a um aplicativo.
Na própria central de programas do Ubuntu basta colocar o termo de busca docky e instala-lo facilmente. (o procedimento é muito parecido a instalação de qualquer outro aplicativo usando a central de apps do Ubuntu, como por exemplo o navegador do Google Chrome).
Quer coisa mais elegante que o Workspace Switcher? Ele exibe quatro áreas de trabalho de maneira eficiente para que você escolha qual ambiente estará sendo utilizado como produção, veja:
workspace switcher
Uma outra curiosidade é que o Banshee se tornou o Player padrão do Ubuntu 11.04.
Assim que foi instalado o Docky foi que pude perceber isto:
banshee
As teclas de atalho e as sombras que o compiz faz em paralelo com o Unity ficam uma coisa que dá até vontade de tocar na tela, sinceramente é uma obra de arte sem igual!
Teclas como WIN + E ou WIN + W ainda dão SHOW. WIN (bandeirinha do Window$) + W mostra os aplicativos como se fosse um zoom out, isso é a cara do Mac Os X, mas dizer que não ficou um Show é pecado, o WIN + E mostra o Workspace Switcher!
Lembre-se de habilitar os efeitos do desktop junto aos aplicativos —> Termo de Busca “Aparência” e escolha a última aba para aplicar efeitos.
Estabilidade e Comodidade
Em termos de estabilidade e comodidade tudo me agradou. Vou ressaltar 2 pontos que vi que chamam a atenção e que podem deixar alguém de primeira viagem meio “cabuloso”.
Primeiro ponto: Surgirão alguns reports de bugs, nada tão crítico, mas surgirão em detrimento de coisas que ainda hoje não estão exigindo muito dos desenvolvedores para o upstream, afinal de contas ver um bugreport baseado no envio de informações por que seu elogio do Unity na central de programas do Ubuntu apresentou crashes não vai em hipótese nenhuma fazer algum developer ou sysadmin, ou mesmo user de escritório passarem fome ;). Segue “a prova do crime”:
ferrou rsrsrs
O resto está tudo estável e só encontrei “duas baratas” no sistema, só isso, em coisas que posso considerar “perfumaria”.
O ponto da comodidade é nas updates e no modo em como cheguei até aqui.
Para fazer seu 10.10 virar 11.04 com UNITY você terá de entrar no console e digitar:
sudo do-release-upgrade -d
E ir confirmando (doido é que aparece Pressione S e só vai se apertar Y, lol).
Depois de uns 760 megas baixados e alguns longos minutos o upgrade ocorrerá sem qualquer stress.
Outro ponto final na comodidade é: Se for fazer atualizações use o console para isto usando:
sudo apt-get update && sudo apt-get upgrade -y
PRONTO!
Abraços e se este review te agrada prepara aquela caixa de Bis para nós, pls!