Lamp2: Ubuntu Server APACHE 2 Mysql 5 PHP 5 phpmyadmin

Standard

Um ambiente LAMP2 (apache 2 mysql 5 php 5 e phpmyadmin) é fundamental para quem desenvolve e deseja testar sua app antes de envia-la para web, sem mais, vamos aos passos:

1 – Clique em Aplicativos->Acessórios->Terminal OU CASO ESTEJA USANDO QUALQUER OUTRA VERSÃO SERVER SEM X, CTRL + ALT + F2.
2 – rode o comando:

sudo apt-get install apache2

Este comando serve para instalar o apache 2. Ressalto que usei o gestor de pacotes e habilitei o suporte a pacotes instáveis e também o repositório partner (mais abaixo posto como fazer).

Ainda no console use o comando abaixo:

sudo apt-get install php5 libapache2-mod-php5
Isto servirá para instalar o php5 e ainda integra-lo como DSO no apache (como módulo).

Já que estamos na metade do caminho o ideal seria dar um restart no apache para garantir que ele leu seu conf.
Use o comando:

sudo /etc/init.d/apache2 restart

A saída deverá ser parecida com:

* Restarting web server apache2 apache2: Could not reliably determine the server’s fully qualified domain name, using 127.0.1.1 for ServerName
… waiting apache2: Could not reliably determine the server’s fully qualified domain name, using 127.0.1.1 for ServerName
[ OK ]

Para garantir que o apache está interpretando códigos php (fazendo uso do interpretador como módulo) podemos editar um arquivo e testa-lo. use o comando abaixo:

sudo vi /var/www/index.php

Dentro deste arquivo informe:

echo 'APPUNIX é um lab de nerds!';
?>

escreva : e depois escreva wq! e pressione enter, ficando algo como :wq! , você salvará o arquivo e sairá do vi.
Feito isto acesse o arquivo para ver se a mensagem APPUNIX é um lab de nerds! aparece, caso sim, sucesso total! Do contrário releia este manual!
Este teste pode ser feito em http://localhost/index.php

Para instalar o mysql como servidor de banco de dados devemos usar o seguinte comando:
sudo apt-get install mysql-server


No meio desse esquema todo serão exibidas janelas que solicitarão a senha de administrador do mysql, semelhantes as imagens abaixo:

senha mysql root

senha mysql root

Outra tela:

senha root mysql 2

senha root mysql 2

Estas telas pedem para que você dê uma senha para o usuário root do mysql, escolha uma senha ao seu gosto e depois repita a mesma.

Agora iremos integrar o php + apache + mysql + phpmyadmin, para isto precisaremos usar o comando:

sudo apt-get install libapache2-mod-auth-mysql php5-mysql phpmyadmin

Neste meio tempo uma tela para escolher entre apache e lighttpd aparecerá, escolha apache. Veja:

escolha apache

escolha apache

Na primeira tela escolha OK e dê um tab para confirmar que aceita a opção.

phpmyadm

phpmyadm

A próxima tela pedirá uma senha de admin para o phpmyadmin, para isto defina algo seu. Veja a tela:

pass phpmyadm

pass phpmyadm

Costumo, após terminar uma instalação de integração como esta utilizar-me de lago, insira as seguintes linhas naquela página index.php usando sudo vim /var/www/index.php
Informe dentro dela o seguinte:

mysql_connect(‘localhost’, ‘root’, ‘suaSENHA’) or die(mysql_error());
?>

Acesse http://localhost/index.php

Se nada ocorrer tudo está 100%.

Quando terminar use o comando:
sudo /etc/init.d/apache2 restart

Isto vai fazer o apache reler todos os confs.

Para concluir precisamos levar o phpmyadmin para a pasta web afim de que possamos editar nossos bds. Para isto precisamos copiar o phpmyadmin para dentro do /var/www usando o comando:

cp -rp /usr/share/phpmyadmin /var/www

Sendo assim, para acessar somente precisamos de um http://localhost/phpmyadmin

Lighttpd php5 mysql no Ubuntu 11.04

Standard

Lighttpd é verdadeiramente uma bala no que tange a containers web. Muitas pessoas gostam dele (segundo a mídia até o Youtube já amou esse negócio), por isso estaremos indo direto ao assunto, vamos instalar essa bala no Ubuntu 11.04?

Temos que ter poder de root para fazer o negócio rodar (use sudo su ou su -, sendo su – melhor pois dá autoridade global):

apt-get update &&

apt-get install mysql-server mysql-client -y

Fazendo isto estaremos instalando o mysql server e seu client (inclusive no pacote vem a ferramenta replace, muito boa para substituir termos em um arquivo [depois falamos de utilitários em outro artigo]).

No momento seguinte o sistema vai pedir que você defina a senha de root:

New password for the MySQL … : Informe a senha de root
Repeat password for the MySQL …: Confirme novamente a senha

Vamos instalar o Lighttpd agora!

apt-get install lighttpd -y

Presumindo que você possui um ip setado a este pc (qualquer ip, se for por dhcp use ifconfig e veja o ip da sua eth0 ou ethX [sendo X ponto variável, podendo ser 1 para interface real secundária e assim por diante]) 10.0.0.1, abra o navegador e digite 10.0.0.1, deverá ser exibido um arquivo pedindo substituição de conteúdo, aonde o document root (pasta principal da web) fica em /var/www e o arquivo de configuração /etc/lighttpd/lighttpd.conf. As configurações extras ficam em /etc/lighttpd/conf-available . Se futuramente ativamos módulos extras podemos usar lighttpd-enable-mod para ativa-los. Os links simbólicos de comandos ficam em /etc/lighttpd/conf-enabled, mas o filé mesmo para edições e customizações é /etc/lighttpd/conf-available.

Hora de meter o php5 em modo fastcgi!

Vamos lá:

apt-get install php5-cgi

 

Para que tudo fique validado precisamos arrumar o esquema. Vamos editar o conf:

vim /etc/php5/cgi/php.ini

Devemos procurar pela linha:

cgi.fix_pathinfo

e mudar seu conteúdo para:

cgi.fix_pathinfo=1

Agora vamos ativar o módulo do php (claro que instalamos o mesmo para ser instância separada,  mas é um módulo):

lighttpd-enable-mod fastcgi

lighttpd-enable-mod fastcgi-php

Vamos conferir os links simbólicos paragarantir que tudo está ok entre os arquivos /etc/lighttpd/conf-enabled/10-fastcgi.conf , /etc/lighttpd/conf-available/10-fastcgi.conf,/etc/lighttpd/conf-enabled/15-fastcgi-php.conf e /etc/lighttpd/conf-available/15-fastcgi-php.conf :

ls -l /etc/lighttpd/conf-enabled

root@developer:~# ls -l /etc/lighttpd/conf-enabled
total 0
lrwxrwxrwx 1 root root 77 2011-05-25 7:46 10-fastcgi.conf -> ../conf-available/10-fastcgi.conf
lrwxrwxrwx 1 root root 78 2011-05-25 7:46 15-fastcgi-php.conf -> ../conf-available/15-fastcgi-php.conf
root@developer:~#

Vamos dar aquele reload sarado:

/etc/init.d/lighttpd force-reload

Vamos testar nosso sistema de containers?

vim /var/www/testes.php

Dentro dele colocarmos assim:

<?php

phpinfo();

?>

A abriremos o browser para ver se aparece a info do php com esse endereço: http://10.0.0.1/testes.php

Vamos dar suporte ao php para que o bichão possa usar o mysql sem stress?

apt-get install php5-mysql php5-curl php5-gd php5-idn php-pear php5-imagick php5-imap php5-mcrypt php5-memcache php5-ming php5-ps php5-pspell php5-recode php5-snmp php5-sqlite php5-tidy php5-xmlrpc php5-xsl

Para validar todo o bando de mudanças façamos assim:

/etc/init.d/lighttpd restart

E para reconferir http://10.0.0.1/testes.php em seu navegador.

Thanks Guys!

😉

 

Nossas fontes:

 

post_max_size uma informação a mais na hora de aumentar o UPLOAD no php.ini

Standard


Olá ALL,
As vezes erramos quando somente aumentamos diretivas do PHP visando upload, tais como:

max_execution_time,
upload_max_filesize,
e até mempory_limit.

Elas até que estão corretas, assim como max_execution_time, só que os forms que enviam dados (refiro-me a arquivos), fazem envio de arquivos pelo método post.
Sendo assim, se quisermos um upload de 96M em um servidor rodando php precisamos colocar no php.ini a informação de qual o tamanho máximo de envio de dados pelo POST.
A saída então seria:

post_max_size = 96M

Isto dentro do PHP.INI.

Pronto, após ajustes o apache deverá ser reiniciado.

Abraços galera!