mount error(): Host is down

Standard

Hi, if you try mount samba (CIFS) on console:

sudo mount -a

mount: mount error(): Host is down (or similar error)
Dont worry :), enter in FSTAB and fix to version 1:

//IP/sharefolder /mnt/destination cifs username=windowslogin,password=passthislogin,iocharset=utf8,vers=1.0,sec=ntlm  0  0

vers=1.0 has added after error.

Change /etc/fstab (this trick) run:
sudo mount -a
ORRRRR
mount -a (like a root)

Ubuntu Foundation Angariando Recursos para o Ubuntu: Isto é Correto ou Errado?

Standard

 

Há pouco tempo a Ubuntu Foundation (erroneamente estão fazendo alusão direta a Canonical) está angariando dólares para o Ubuntu (podemos verificar um post sobre no Br-Linux Aqui!), e isto está gerando satisfação em alguns usuários e para outros (ou nem usuários) há queixas e alegações das mais absurdas formas. Veja a “tela” que é disposta assim que solicitamos o download do Ubuntu:

Antes de mais nada vamos analisar com parcimônia todo o trajeto (de forma muito resumida) do Ubuntu.
Desde 2004 a proposta do Ubuntu era tornar-se a distribuição que proporcionasse a experiência mais amigável a usuários Linux (e principalmente NÃO Linux) com Desktops Linux. O prisma da época não circulava somente no ponto de vista do visual do desktop, mas como o ecossistema inteiro responderia as mais variadas situações do cotidiano de um usuário final (atualizações do sistema, aplicação de tais atualizações, alertas de rede, notificações de espaço em disco, impressões, novos emails e etc). Houve êxito e toda parte “difícil” (entrar na shell para executar coisas simples, por exemplo montar um Pen Drive) do Linux foi mitigada com a presença do Ubuntu.

Anos se passaram, muitas coisas foram modificadas (inclusive o ambiente gráfico que passou a receber prioridade máxima, tendo seu titular o Unity), muitas coisas melhoraram e muitas coisas permaneceram legais. A linha de servidores (assim como Desktops) recebeu honraria do mais alto nível no que tange a atualizações, a série LTS (suporte extendido) ganhou muita repercussão por tornar a experiência de atualizações muito amigável (não em termos de funcionalidades, mas no campo de upgrade de hardware ou versionamento do sistema operacional em si).

Toda a história do Linux teve um tempero de qualidade com o surgimento do Ubuntu, mas e as perguntas que nos assombram?

Por que não cobram por algo tão bom?
Como conseguem enviar CDS e Adesivos sem qualquer custo?

O reflexo de todo investimento realizado pela fundação está patente a todos os olhos de qualquer pessoa envolvida com TI. Diga-se de passagem que muitos conheceram o Ubuntu antes mesmo de saberem o que era Linux!

Em 2006, eu, um usuário assíduo Slackware me rendi a tanta praticidade que “aquela coisa” proporcionava. Anos se passaram e fui muito atendido em todas as esferas (pessoas e comerciais) com o tal “Sistema bonitinho que tudo fazia para mim!”.
Hoje administro 3 servidores Ubuntu, sendo 2 para CFTV e 1 para banco de dados, e me pergunto?

Será que tantos anos de estabilidade não merecem qualquer reconhecimento?

Elogios não enchem barrigas de desenvolvedores, e será mais que necessário tirar a cauterização que foi realizada com os Mrs. FOSS do passado -> “tudo que é livre é grátis!”.

Discusso lindo  (acima) que não paga contas de água, luz, aluguel de salas, links, alimentos e dispositivos (hardware) para testes que já ouvimos antes e que não funcionam mais.

 

Quanto o Ubuntu já gerou de lucro para você? Quanto ele valeria aos seus olhos?

Apesar de ser usuário Mac Os X, logo em breve estarei comprando acessórios na loja do Ubuntu (http://shop.canonical.com/) e farei alguma doação significativa, pois quanto mais motivados (programadores) melhor será a qualidade do produto (Ubuntu). A Red Hat tornou o seu sistema operacional fechado no que tange a distribuição de sources por repositórios internos, o que obriga o usuário a adquirir (comprar a licença de uso) o sistema operacional (muito bom, por sinal), mas, o Ubuntu não merecia ser pago?

Sim!

A Qualidade do Sistema operacional está sendo distribuída gratuitamente, arrancaria pedaços dos meus dedos para preencher dados de cartão de crédito no Paypal?

Não!

 

Se você leu este post e tem uma idéia adjacente ou ainda, é oposto à minha reflexão deixe seu comentário, mas elevo o tom em um horizonte -> Será que anos de suprimento de qualidade, segurança, estabilidade e respeito não valem sequer 10 U$ para você?

ERROR: Failed to connect to server: Unable to find the socket transport “ssl” GOOGLE APPS com CPANEL

Standard

SMTP -> ERROR: Failed to connect to server: Unable to find the socket transport “ssl” – did you forget to enable it when you configured PHP? (24)

 

Se esse erro ocorre é simples de resolver, não precisa mudar sua classe phpmailer, usar debug true ou mesmo error_reporting(E_ALL) afim de depurar, agora é hora de matar a pau.

Crie um arquivo chamado info.php e dentro dele coloque <?php phpinfo(); ?>

Abra este arquivo pelo site e por fim veja se está ativada a biblioteca openssl, caso esteja o problema será suporte a esse tipo de socket.

Mande que o seu provedor acesse o whm e em exim configurator editor ele marque a opção Allow weak SSL/TLS ciphers, depois de aplicar o whm vai reiniciar o serviço do exim e pronto, é só alegria.

 

PS, atente para estar usando a porta certa e o hostname certo no seu phpmailer :P.

 

$mail->Host = “smtp.gmail.com”;

$mail->SMTPAuth = true;

$mail->Username = “login@dominionoapps.com.br”;

$mail->Password = “senha”;

$mail->SMTPSecure=”ssl”;

$mail->Port=465;

Como extrair arquivos RAR (ou do WINRAR) no Ubuntu 10.04 (Lucid Lynx)?

Standard

Se você, toda vez que tenta abrir (extrair) um arquivo rar recebe uma mensagem de erro informando que não consegue abrir o pacote, não se preocupe, é coisa simples de se resolver.

Os passos para o erro seguem-se na imagem abaixo:

Para resolver clique em Aplicativos -> Acessórios -> Terminal

No console digite:

sudo apt-get install rar

A saída deverá ser semelhante a isto (em uma plataforma x86):

Lendo listas de pacotes… Pronto
Construindo árvore de dependências
Lendo informação de estado… Pronto
Pacotes sugeridos:
unrar
Os NOVOS pacotes a seguir serão instalados:
rar
0 pacotes atualizados, 1 pacotes novos instalados, 0 a serem removidos e 0 não atualizados.
É preciso baixar 556kB de arquivos.
Depois desta operação, 1192kB adicionais de espaço em disco serão usados.
Obter:1 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/multiverse rar 1:3.9.b2-1 [556kB]
Baixados 556kB em 5s (95,7kB/s)
Selecionando pacote previamente não selecionado rar.
(Lendo banco de dados … 183480 arquivos e diretórios atualmente instalados).
Desempacotando rar (de …/rar_1%3a3.9.b2-1_i386.deb) …
Processando gatilhos para man-db …
Configurando rar (1:3.9.b2-1) …

Pronto, agora basta tentar extrair novamente que não mais ocorrerá o erro.

Abraços.

Ispconfig 2: how to create a park domain – como deixar um domínio acessar o conteúdo do outro como park no ispconfig

Standard

Uma das coisas mais interessantes no IspConfig é sua capacidade de permitir customizações em tudo que você possa imaginar. Aproveitando esta “boquinha” vamos fazer algo diferente.
Parkear domínios no Parallels Plesk e no Whm/CPanel é coisa fácil, pois tudo é automatizado, mas isto não quer dizer que o bom e velho vim (ou qualquer OUTRO EDITOR) não entre em ação.

Para isto, precisamos logar-nos como root no servidor aonde iremos parkear domínios, e devemos (antes de mais nada) fazer backup do arquivo de configuração do apache, sendo assim use o comando:

cp -rp /etc/httpd/conf/httpd.conf /root/httpd.conf.OLD


Temos então um arquivo garantido para que, em qualquer eventualidade sirva para consulta ou possivelmente correção do arquivo mais recente.

Entremos no arquivo de configuração:

vim /etc/httpd/conf/httpd.conf

Vá para o final do arquivo e localize exatamente este trecho:


Options ExecCGI -Indexes
AllowOverride None
AllowOverride Indexes AuthConfig Limit FileInfo
Order allow,deny
Allow from all

Deny from all

Feito isto, o que devemos fazer é simples.
Sabendo-se que o ISPConfig lê um outro arquivo com os vhosts dos usuários web, devemos antecipar nossa configuração de maneira que a linha do ispconfig fique abaixo do nosso vhost.

Acima da linha com a informação:

Include /etc/httpd/conf/vhosts/Vhosts_ispconfig.conf

Devemos fazer algo assim:

ServerName www.nomedodominioparkeado.com:80
ServerAdmin webmaster@dominiodestino.com.br
DocumentRoot /var/www/web100/web
ServerAlias dominiodestino.com.br
DirectoryIndex index.html index.htm index.php index.php5 index.php4 index.php3 index.shtml index.cgi index.pl index.jsp Default.htm default.htm
Alias /cgi-bin/ /var/www/web100/cgi-bin/
AddHandler cgi-script .cgi
AddHandler cgi-script .pl
ErrorLog /var/www/web100/log/error.log
AddType application/x-httpd-php .php .php3 .php4 .php5
php_admin_flag safe_mode On
AddType text/html .shtml
AddOutputFilter INCLUDES .shtml
Alias /stats “/var/www/web100/web/webalizer”
Alias /error/ “/var/www/web100/web/error/”
ErrorDocument 400 /error/invalidSyntax.html
ErrorDocument 401 /error/authorizationRequired.html
ErrorDocument 403 /error/forbidden.html
ErrorDocument 404 /error/fileNotFound.html
ErrorDocument 405 /error/methodNotAllowed.html
ErrorDocument 500 /error/internalServerError.html
ErrorDocument 503 /error/overloaded.html
AliasMatch ^/~([^/]+)(/(.*))? /var/www/web100/user/$1/web/$3
AliasMatch ^/users/([^/]+)(/(.*))? /var/www/web100/user/$1/web/$3

RewriteEngine on
RewriteCond %{REQUEST_METHOD} ^(TRACE|TRACK)
RewriteRule .* – [F]

Perceba que no começo falei XXX.XXX.XXX.XXX, isto refere-se ao ip do seu dedicado (shared ip dos domínios :P)

Por este vhost pegue a coisa em cheio.

A charada está nas linhas:

ServerName www.nomedodominioparkeado.com:80
ServerAdmin webmaster@dominiodestino.com.br
DocumentRoot /var/www/web100/web
ServerAlias dominiodestino.com.br

1 – indica o parkeamento
2 – email do main domain
3 – arquivos web de onde o parkeamento vai ler assim que o internauta acessar a página www.nomedodominioparkeado.com
4 – indica o destino do parkeamento, ou seja, ao acessar www.nomedodominioparkeado.com a pessoa na realidade acessa dominiodestino.com.br, porém tendo no cabeçalho o nome www.nomedodominioparkeado.com (url de entrada no navegador)


OBS: CASO O ARTIGO NÃO EXIBA AS TAGS DO APACHE, POR FAVOR VERIFIQUEM JUNTO AO ARQUIVO /ETC/HTTPD/CONF/HTTPD.CONF.

Abraços e espero ter contribuído com um dia feliz para nós… lol.
bye!

create user output file. Command output: procmail: Error while writing to /var/mail…

Standard

create user output file. Command output: procmail: Error while writing to /var/mail…

Se esta é a mensagem de erro que vem no outlook que de quem está enviando um email para um destinatário que usa postfix seus problemas “SE ACABARAM-SE”.

Entre no console e como root e digite:

postconf -e 'mailbox_size_limit = 0'

Provavelmente é a quota ferrada e este comando te tira da forca :D.

Sistemas afetados: Debian, Ubuntu (lucid lynx, karmic…), Centos 5.5, Centos 5.4…

Lamp2: Ubuntu 10.04 APACHE 2 Mysql 5 PHP 5 phpmyadmin (lucid lynx)

Standard

Boa noite ALL, é com muita alegria que informo:

Meu PC está com o Lucid Lynx (Ubuntu 10.4).
Este How to que preparei hoje vai ensinar como montar um ambiente de desenvolvimento web para aplicações php que utilizam-se do container apache e do banco de dados mysql.
Um ambiente LAMP2 (apache 2 mysql 5 php 5 e phpmyadmin) é fundamental para quem desenvolve e deseja testar sua app antes de envia-la para web, sem mais, vamos aos passos:

1 – Clique em Aplicativos->Acessórios->Terminal
2 – rode o comando: sudo apt-get install apache2
Este comando serve para instalar o apache 2.
A saída deste comando deverá ser semelhante a esta:

Lendo listas de pacotes… Pronto
Construindo árvore de dependências
Lendo informação de estado… Pronto
Os pacotes extra a seguir serão instalados:
apache2-mpm-worker apache2-utils apache2.2-bin apache2.2-common libapr1 libaprutil1 libaprutil1-dbd-sqlite3 libaprutil1-ldap
Pacotes sugeridos:
apache2-doc apache2-suexec apache2-suexec-custom
Os NOVOS pacotes a seguir serão instalados:
apache2 apache2-mpm-worker apache2-utils apache2.2-bin apache2.2-common libapr1 libaprutil1 libaprutil1-dbd-sqlite3 libaprutil1-ldap
0 pacotes atualizados, 9 pacotes novos instalados, 0 a serem removidos e 0 não atualizados.
É preciso baixar 3328kB de arquivos.
Depois desta operação, 10,1MB adicionais de espaço em disco serão usados.
Você quer continuar [S/n]? S
0% [Aguardando por cabeçalhos]
Obter:1 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main libapr1 1.3.8-1build1 [116kB]
Obter:2 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main libaprutil1 1.3.9+dfsg-3build1 [85,4kB]
Obter:3 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main libaprutil1-dbd-sqlite3 1.3.9+dfsg-3build1 [27,1kB]
Obter:4 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main libaprutil1-ldap 1.3.9+dfsg-3build1 [25,1kB]
Obter:5 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main apache2.2-bin 2.2.14-5ubuntu8 [2622kB]
Obter:6 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main apache2-utils 2.2.14-5ubuntu8 [159kB]
Obter:7 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main apache2.2-common 2.2.14-5ubuntu8 [290kB]
Obter:8 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main apache2-mpm-worker 2.2.14-5ubuntu8 [2364B]
Obter:9 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main apache2 2.2.14-5ubuntu8 [1482B]
Baixados 3328kB em 40s (81,4kB/s)
Selecionando pacote previamente não selecionado libapr1.
(Lendo banco de dados … 148327 arquivos e diretórios atualmente instalados).
Desempacotando libapr1 (de …/libapr1_1.3.8-1build1_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado libaprutil1.
Desempacotando libaprutil1 (de …/libaprutil1_1.3.9+dfsg-3build1_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado libaprutil1-dbd-sqlite3.
Desempacotando libaprutil1-dbd-sqlite3 (de …/libaprutil1-dbd-sqlite3_1.3.9+dfsg-3build1_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado libaprutil1-ldap.
Desempacotando libaprutil1-ldap (de …/libaprutil1-ldap_1.3.9+dfsg-3build1_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado apache2.2-bin.
Desempacotando apache2.2-bin (de …/apache2.2-bin_2.2.14-5ubuntu8_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado apache2-utils.
Desempacotando apache2-utils (de …/apache2-utils_2.2.14-5ubuntu8_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado apache2.2-common.
Desempacotando apache2.2-common (de …/apache2.2-common_2.2.14-5ubuntu8_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado apache2-mpm-worker.
Desempacotando apache2-mpm-worker (de …/apache2-mpm-worker_2.2.14-5ubuntu8_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado apache2.
Desempacotando apache2 (de …/apache2_2.2.14-5ubuntu8_i386.deb) …
Processando gatilhos para man-db …
Processando gatilhos para ufw …
Processando gatilhos para ureadahead …
ureadahead will be reprofiled on next reboot
Configurando libapr1 (1.3.8-1build1) …

Configurando libaprutil1 (1.3.9+dfsg-3build1) …

Configurando libaprutil1-dbd-sqlite3 (1.3.9+dfsg-3build1) …
Configurando libaprutil1-ldap (1.3.9+dfsg-3build1) …
Configurando apache2.2-bin (2.2.14-5ubuntu8) …
Configurando apache2-utils (2.2.14-5ubuntu8) …
Configurando apache2.2-common (2.2.14-5ubuntu8) …
Enabling site default.
Enabling module alias.
Enabling module autoindex.
Enabling module dir.
Enabling module env.
Enabling module mime.
Enabling module negotiation.
Enabling module setenvif.
Enabling module status.
Enabling module auth_basic.
Enabling module deflate.
Enabling module authz_default.
Enabling module authz_user.
Enabling module authz_groupfile.
Enabling module authn_file.
Enabling module authz_host.
Enabling module reqtimeout.

Configurando apache2-mpm-worker (2.2.14-5ubuntu8) …
* Starting web server apache2 apache2: Could not reliably determine the server’s fully qualified domain name, using 127.0.1.1 for ServerName
[ OK ]

Configurando apache2 (2.2.14-5ubuntu8) …

Processando gatilhos para libc-bin …
ldconfig deferred processing now taking place

Ressalto que usei o gestor de pacotes e habilitei o suporte a pacotes instáveis e também o repositório partner (mais abaixo posto como fazer).

Ainda no console use o comando abaixo:

sudo apt-get install php5 libapache2-mod-php5
Isto servirá para instalar o php5 e ainda integra-lo como DSO no apache (como módulo).
A saída deste comando será semelhante a esta:

Lendo listas de pacotes… Pronto
Construindo árvore de dependências
Lendo informação de estado… Pronto
Os pacotes extra a seguir serão instalados:
apache2-mpm-prefork php5-common
Pacotes sugeridos:
php-pear php5-suhosin
Os pacotes a seguir serão REMOVIDOS:
apache2-mpm-worker
Os NOVOS pacotes a seguir serão instalados:
apache2-mpm-prefork libapache2-mod-php5 php5 php5-common
0 pacotes atualizados, 4 pacotes novos instalados, 1 a serem removidos e 0 não atualizados.
É preciso baixar 3376kB de arquivos.
Depois desta operação, 8790kB adicionais de espaço em disco serão usados.
Você quer continuar [S/n]? S
Obter:1 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main apache2-mpm-prefork 2.2.14-5ubuntu8 [2422B]
Obter:2 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid-proposed/main php5-common 5.3.2-1ubuntu4.1 [541kB]
Obter:3 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid-proposed/main libapache2-mod-php5 5.3.2-1ubuntu4.1 [2831kB]
Obter:4 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid-proposed/main php5 5.3.2-1ubuntu4.1 [1114B]
Baixados 3376kB em 8s (389kB/s)
dpkg: apache2-mpm-worker: problemas de dependência, mas removendo assim mesmo conforme pedido:
apache2 depende de apache2-mpm-worker (= 2.2.14-5ubuntu8) | apache2-mpm-prefork (= 2.2.14-5ubuntu8) | apache2-mpm-event (= 2.2.14-5ubuntu8) | apache2-mpm-itk (= 2.2.14-5ubuntu8); porém:
Pacote apache2-mpm-worker está para ser removido.
Pacote apache2-mpm-prefork não está instalado.
Pacote apache2-mpm-event não está instalado.
Pacote apache2-mpm-itk não está instalado.
(Lendo banco de dados … 148902 arquivos e diretórios atualmente instalados).
Removendo apache2-mpm-worker …
* Stopping web server apache2 apache2: Could not reliably determine the server’s fully qualified domain name, using 127.0.1.1 for ServerName
… waiting [ OK ]
Selecionando pacote previamente não selecionado apache2-mpm-prefork.
(Lendo banco de dados … 148895 arquivos e diretórios atualmente instalados).
Desempacotando apache2-mpm-prefork (de …/apache2-mpm-prefork_2.2.14-5ubuntu8_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado php5-common.
Desempacotando php5-common (de …/php5-common_5.3.2-1ubuntu4.1_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado libapache2-mod-php5.
Desempacotando libapache2-mod-php5 (de …/libapache2-mod-php5_5.3.2-1ubuntu4.1_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado php5.
Desempacotando php5 (de …/php5_5.3.2-1ubuntu4.1_all.deb) …
Configurando apache2-mpm-prefork (2.2.14-5ubuntu8) …
* Starting web server apache2 apache2: Could not reliably determine the server’s fully qualified domain name, using 127.0.1.1 for ServerName
[ OK ]

Configurando php5-common (5.3.2-1ubuntu4.1) …
Configurando libapache2-mod-php5 (5.3.2-1ubuntu4.1) …

Creating config file /etc/php5/apache2/php.ini with new version
* Reloading web server config apache2 apache2: Could not reliably determine the server’s fully qualified domain name, using 127.0.1.1 for ServerName
[ OK ]

Configurando php5 (5.3.2-1ubuntu4.1) …

Já que estamos na metade do caminho o ideal seria dar um restart no apache para garantir que ele leu seu conf.
Use o comando:

sudo /etc/init.d/apache2 restart

A saída deverá ser parecida com:

* Restarting web server apache2 apache2: Could not reliably determine the server’s fully qualified domain name, using 127.0.1.1 for ServerName
… waiting apache2: Could not reliably determine the server’s fully qualified domain name, using 127.0.1.1 for ServerName
[ OK ]

Para garantir que o apache está interpretando códigos php (fazendo uso do interpretador como módulo) podemos editar um arquivo e testa-lo. use o comando abaixo:

sudo vi /var/www/index.php

Dentro deste arquivo informe:

escreva : e depois escreva wq! e pressione enter, ficando algo como :wq! , você salvará o arquivo e sairá do vi.
Feito isto acesse o arquivo para ver se a mensagem nerdblog é 10 aparece, caso sim, sucesso total! Do contrário releia este manual!
Este teste pode ser feito em http://localhost/index.php

Para instalar o mysql como servidor de banco de dados devemos usar o seguinte comando:
sudo apt-get install mysql-server
A saída deste comando deverá assemelhar-se com:

Obter:1 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main mysql-common 5.1.41-3ubuntu12 [97,1kB]
Obter:2 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main libnet-daemon-perl 0.43-1 [46,9kB]
Obter:3 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main libplrpc-perl 0.2020-2 [36,0kB]
Obter:4 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main libdbi-perl 1.609-1build1 [798kB]
Obter:5 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main libmysqlclient16 5.1.41-3ubuntu12 [1931kB]
Obter:6 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main libdbd-mysql-perl 4.012-1ubuntu1 [135kB]
Obter:7 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main mysql-client-core-5.1 5.1.41-3ubuntu12 [176kB]
Obter:8 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main mysql-client-5.1 5.1.41-3ubuntu12 [8136kB]
Obter:9 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main mysql-server-core-5.1 5.1.41-3ubuntu12 [4711kB]
Obter:10 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main mysql-server-5.1 5.1.41-3ubuntu12 [7007kB]
Obter:11 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main libhtml-template-perl 2.9-1 [65,8kB]
Obter:12 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main mysql-server 5.1.41-3ubuntu12 [93,0kB]
Baixados 23,2MB em 1min 58s (196kB/s)
Pré-configurando pacotes …
Selecionando pacote previamente não selecionado mysql-common.
(Lendo banco de dados … 150463 arquivos e diretórios atualmente instalados).
Desempacotando mysql-common (de …/mysql-common_5.1.41-3ubuntu12_all.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado libnet-daemon-perl.
Desempacotando libnet-daemon-perl (de …/libnet-daemon-perl_0.43-1_all.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado libplrpc-perl.
Desempacotando libplrpc-perl (de …/libplrpc-perl_0.2020-2_all.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado libdbi-perl.
Desempacotando libdbi-perl (de …/libdbi-perl_1.609-1build1_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado libmysqlclient16.
Desempacotando libmysqlclient16 (de …/libmysqlclient16_5.1.41-3ubuntu12_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado libdbd-mysql-perl.
Desempacotando libdbd-mysql-perl (de …/libdbd-mysql-perl_4.012-1ubuntu1_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado mysql-client-core-5.1.
Desempacotando mysql-client-core-5.1 (de …/mysql-client-core-5.1_5.1.41-3ubuntu12_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado mysql-client-5.1.
Desempacotando mysql-client-5.1 (de …/mysql-client-5.1_5.1.41-3ubuntu12_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado mysql-server-core-5.1.
Desempacotando mysql-server-core-5.1 (de …/mysql-server-core-5.1_5.1.41-3ubuntu12_i386.deb) …
Processando gatilhos para man-db …
Configurando mysql-common (5.1.41-3ubuntu12) …
Selecionando pacote previamente não selecionado mysql-server-5.1.
(Lendo banco de dados … 150828 arquivos e diretórios atualmente instalados).
Desempacotando mysql-server-5.1 (de …/mysql-server-5.1_5.1.41-3ubuntu12_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado libhtml-template-perl.
Desempacotando libhtml-template-perl (de …/libhtml-template-perl_2.9-1_all.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado mysql-server.
Desempacotando mysql-server (de …/mysql-server_5.1.41-3ubuntu12_all.deb) …
Processando gatilhos para ureadahead …
Processando gatilhos para man-db …
Configurando libnet-daemon-perl (0.43-1) …
Configurando libplrpc-perl (0.2020-2) …
Configurando libdbi-perl (1.609-1build1) …
Configurando libmysqlclient16 (5.1.41-3ubuntu12) …

Configurando libdbd-mysql-perl (4.012-1ubuntu1) …
Configurando mysql-client-core-5.1 (5.1.41-3ubuntu12) …
Configurando mysql-client-5.1 (5.1.41-3ubuntu12) …
Configurando mysql-server-core-5.1 (5.1.41-3ubuntu12) …
Configurando mysql-server-5.1 (5.1.41-3ubuntu12) …
mysql start/running, process 4808

Configurando libhtml-template-perl (2.9-1) …
Configurando mysql-server (5.1.41-3ubuntu12) …
Processando gatilhos para libc-bin …
ldconfig deferred processing now taking place


No meio desse esquema todo serão exibidas janelas que solicitarão a senha de administrador do mysql, semelhantes as imagens abaixo:

Outra tela:

Estas telas pedem para que você dê uma senha para o usuário root do mysql, escolha uma senha ao seu gosto e depois repita a mesma.

Agora iremos integrar o php + apache + mysql + phpmyadmin, para isto precisaremos usar o comando:

sudo apt-get install libapache2-mod-auth-mysql php5-mysql phpmyadmin

A saída deste comando deverá ser algo mais ou menos parecido com isto aqui:

Lendo listas de pacotes… Pronto
Construindo árvore de dependências
Lendo informação de estado… Pronto
Os pacotes extra a seguir serão instalados:
dbconfig-common javascript-common libjs-mootools libmcrypt4 libt1-5 php5-gd php5-mcrypt wwwconfig-common
Pacotes sugeridos:
libmcrypt-dev mcrypt postgresql-client apache apache-ssl
Os NOVOS pacotes a seguir serão instalados:
dbconfig-common javascript-common libapache2-mod-auth-mysql libjs-mootools libmcrypt4 libt1-5 php5-gd php5-mcrypt php5-mysql phpmyadmin wwwconfig-common
0 pacotes atualizados, 11 pacotes novos instalados, 0 a serem removidos e 0 não atualizados.
É preciso baixar 5404kB de arquivos.
Depois desta operação, 21,9MB adicionais de espaço em disco serão usados.
Você quer continuar [S/n]? S
Obter:1 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main dbconfig-common 1.8.44ubuntu1 [474kB]
Obter:2 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/universe wwwconfig-common 0.2.1 [22,8kB]
Obter:3 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/universe javascript-common 7 [3854B]
Obter:4 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main libapache2-mod-auth-mysql 4.3.9-12ubuntu1 [25,6kB]
Obter:5 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/universe libjs-mootools 1.2.4.0~debian1-1 [248kB]
Obter:6 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/universe libmcrypt4 2.5.8-3.1 [76,1kB]
Obter:7 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/main libt1-5 5.1.2-3build1 [155kB]
Obter:8 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid-proposed/main php5-gd 5.3.2-1ubuntu4.1 [34,8kB]
Obter:9 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/universe php5-mcrypt 5.3.2-0ubuntu1 [15,2kB]
Obter:10 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid-proposed/main php5-mysql 5.3.2-1ubuntu4.1 [64,2kB]
Obter:11 http://br.archive.ubuntu.com/ubuntu/ lucid/universe phpmyadmin 4:3.3.2-1 [4285kB]
Baixados 5404kB em 45s (118kB/s)
Pré-configurando pacotes …
Selecionando pacote previamente não selecionado dbconfig-common.
(Lendo banco de dados … 150920 arquivos e diretórios atualmente instalados).
Desempacotando dbconfig-common (de …/dbconfig-common_1.8.44ubuntu1_all.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado wwwconfig-common.
Desempacotando wwwconfig-common (de …/wwwconfig-common_0.2.1_all.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado javascript-common.
Desempacotando javascript-common (de …/javascript-common_7_all.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado libapache2-mod-auth-mysql.
Desempacotando libapache2-mod-auth-mysql (de …/libapache2-mod-auth-mysql_4.3.9-12ubuntu1_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado libjs-mootools.
Desempacotando libjs-mootools (de …/libjs-mootools_1.2.4.0~debian1-1_all.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado libmcrypt4.
Desempacotando libmcrypt4 (de …/libmcrypt4_2.5.8-3.1_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado libt1-5.
Desempacotando libt1-5 (de …/libt1-5_5.1.2-3build1_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado php5-gd.
Desempacotando php5-gd (de …/php5-gd_5.3.2-1ubuntu4.1_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado php5-mcrypt.
Desempacotando php5-mcrypt (de …/php5-mcrypt_5.3.2-0ubuntu1_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado php5-mysql.
Desempacotando php5-mysql (de …/php5-mysql_5.3.2-1ubuntu4.1_i386.deb) …
Selecionando pacote previamente não selecionado phpmyadmin.
Desempacotando phpmyadmin (de …/phpmyadmin_4%3a3.3.2-1_all.deb) …
Processando gatilhos para man-db …
Processando gatilhos para libapache2-mod-php5 …
* Reloading web server config apache2 apache2: Could not reliably determine the server’s fully qualified domain name, using 127.0.1.1 for ServerName
[ OK ]
Processando gatilhos para doc-base …
Processing 26 changed 1 added doc-base file(s)…
Registering documents with scrollkeeper…
Configurando dbconfig-common (1.8.44ubuntu1) …

Creating config file /etc/dbconfig-common/config with new version

Configurando wwwconfig-common (0.2.1) …
Configurando javascript-common (7) …

Configurando libapache2-mod-auth-mysql (4.3.9-12ubuntu1) …
Configurando libjs-mootools (1.2.4.0~debian1-1) …
Configurando libmcrypt4 (2.5.8-3.1) …

Configurando libt1-5 (5.1.2-3build1) …

Configurando php5-gd (5.3.2-1ubuntu4.1) …
Configurando php5-mcrypt (5.3.2-0ubuntu1) …
Configurando php5-mysql (5.3.2-1ubuntu4.1) …
Configurando phpmyadmin (4:3.3.2-1) …
dbconfig-common: writing config to /etc/dbconfig-common/phpmyadmin.conf

Creating config file /etc/dbconfig-common/phpmyadmin.conf with new version

Creating config file /etc/phpmyadmin/config-db.php with new version
granting access to database phpmyadmin for phpmyadmin@localhost: success.
verifying access for phpmyadmin@localhost: success.
creating database phpmyadmin: success.
verifying database phpmyadmin exists: success.
populating database via sql… done.
dbconfig-common: flushing administrative password
* Reloading web server config apache2 apache2: Could not reliably determine the server’s fully qualified domain name, using 127.0.1.1 for ServerName
[ OK ]

Processando gatilhos para libc-bin …
ldconfig deferred processing now taking place

Neste meio tempo uma tela para escolher entre apache e lighttpd aparecerá, escolha apache. Veja:

Na primeira tela escolha OK e dê um tab para confirmar que aceita a opção.

A próxima tela pedirá uma senha de admin para o phpmyadmin, para isto defina algo seu. Veja a tela:

Costumo, após terminar uma instalação de integração como esta utilizar-me de lago, insira as seguintes linhas naquela página index.php usando sudo vim /var/www/index.php
Informe dentro dela o seguinte:

Acesse http://localhost/index.php

Se nada ocorrer tudo está 100%.

Quando terminar use o comando:
sudo /etc/init.d/apache2 restart

Isto vai fazer o apache reler todos os confs.

Para concluir precisamos levar o phpmyadmin para a pasta web afim de que possamos editar nossos bds. Para isto precisamos copiar o phpmyadmin para dentro do /var/www usando o comando:

cp -rp /usr/share/phpmyadmin /var/www

Sendo assim, para acessar somente precisamos de um http://localhost/phpmyadmin

A parte interessante no quesito repositório vem de um how to bem interessante, veja:
http://www.howtoforge.com/the-perfect-desktop-ubuntu-10.04-lucid-lynx

Benchmarks do Red Hat 6 Beta: preocupação com o desempenho

Standard


Antes de mais nada é bom saber que os testes realizados em cima do Red Hat 6 foram baseados em plataforma beta.
Entretanto, uma das coisas que não gostei (principalmente por evangelizar na web que Red hat/Centos são os mais rápidos ambientes Webs em Lamp) foi o desempenho do Rhel 6 com uso do Apache.
O CentOs foi melhor (5.4) nas requisições.

A matéria completa está no fim deste post.
Espero que o Red Hat stable esteja bem tunado, por que até o momento, no que diz respeito ao Apache, ele foi uma carroça :(.

http://www.phoronix.com/vr.php?view=14826

Avaliação abrangente do Ubuntu 10.04 beta 2

Standard


Há 3 anos que venho utilizando-me do Ubuntu, mas há certas horas que “gosto de mudar as coisas” em busca de uma produtividade maior. Desta vez, após avaliar um review de um usuário, novamente me pego de queixo caído:

Será que não vale a pena ter o Ubuntu como single boot ao invés de tentar outro S.O.?

Já usei bastante o Fedora, que inclusive em sua versão 12 me trouxe uma sensação de establidade incrível (coisa aonde atirei muita pedra nas versões anteriores), mas como resistir a tanto automatismo e estabilidade?

Quer ver a avaliação que anda me convencendo que o Ubuntu é um dos mais aclamados S.O. de todos os tempos?
Vide:

http://marcinhostudiopro.blogspot.com/2010/04/review-ubuntu-104-beta-2.html

A próprosito, estou esperando sair o Stable para entrar com a cara e a coragem no single boot.

Red Hat 6 beta está disponível!

Standard

Certeza que esse release uma hora iria aparecer eu tinha.
Segundo a própria Red Hat o maior foco foi na Virtualização, veja:

The major themes of the release include pervasive virtualization, improved scalability and availability, increased power efficiency, and delivery of some of the latest software technologies. In line with today’s Beta availability, we’ll briefly highlight a few of the new and noteworthy improvements:

* Comprehensive power management capabilities
Time-keeping improvements within the kernel allow the system to transition processors that do not have active tasks into the idle state more frequently. This leads to cooler CPUs and greater power savings compared to previous releases. New monitoring tools like powertop are designed to help pin-point power consumption issues that can be resolved in order to further reduce power consumption. New tuning tools like “tuned,” which is an adaptive system tuning daemon, allow the system to adjust power consumption based on analysis of service usage patterns.
* Performance enhancements
Red Hat engineers have played key roles in the upstream development of a wide range of kernel performance enhancements that we plan to feature in Red Hat Enterprise Linux 6. This includes a complete rewrite of the process scheduler so that it more fairly shares compute cycles among processes and provides more determinism by enabling higher-priority processes to run with minimal interference from lower-priority processes. Additionally, there are a substantial range of multi-processor lock synchronization enhancements. For example, elimination of unnecessary locking occurrences, replacement of many spin locks with sleep locks and implementation of more efficient locking primitives. These foundational changes impact a number of kernel subsystems.
* Scalability enhancements
Recent hardware launches have resulted in significant growth in commodity computing platforms. For example it is now possible to have 64 CPUs and 2TB of memory in a 5U rackmount form factor. These systems and their successors are approaching the scalability limits of Red Hat Enterprise Linux 5. A primary feature of Red Hat Enterprise Linux 6 is that it is designed to provide the scalability to handle systems well into the future. Capabilities range from optimized support for large CPU counts and memory configurations to the ability to handle an increased number of system-interconnect buses and peripherals. These capabilities are appropriate for both bare metal and virtualized environments as virtualization becomes as pervasive as bare metal deployments.
* New security features
A new service called the System Security Services Daemon (SSSD) provides central management of identities. It also has the ability to cache credentials for offline use. The new SELinux sandbox feature allows execution of untrusted content in an isolated environment designed not to impact the rest of the system. This includes the ability to isolate any virtualized guest running on Red Hat Enterprise Linux 6.
* Resource management
Fine-grained control, allocation and management of hardware resources is available with the help of a new framework called Control Groups or cgroups. cgroups work at the process group level and can be used to manage resources ranging from CPU, memory, network and disk I/O for applications. This framework is also used to manage virtual guests.
* Virtualization
Red Hat Enterprise Linux 6 builds on the integrated KVM-based virtualization provided by earlier Red Hat Enterprise Linux releases. Incorporating numerous performance, scheduler and hardware support enhancements, it offers improved flexibility and control regardless of the deployment model.
* Storage
Support for network block storage via FCoE and iSCSI protocols make it possible to perform online re-size of mirrored and multipath volumes using LVM/DM.
* File system
This release includes the ext4 file system. As the next generation of the extended filesystem family, it includes support for larger file sizes, more efficient allocation of disk space, better file system checking and more robust journaling. In addition to ext4, the XFS® filesystem is also expected to be available. XFS® is well suited for extremely large file and directory sizes and includes features such as the ability to defragment and re-size the filesystem while active. NFS has been updated to version 4, which includes support for IPv6.
* Reliability, availability and serviceability (RAS)
This release leverages new hardware capabilities to offer features such as hot-add of devices and memory, and enhanced error checking for PCIe devices via AER. It also is expected to include advanced data integrity features (DIF/DIX) that validate data from application to platter via hardware checksums. The introduction of ABRT (Automated Bug Reporting Tool) provides a more consistent way to identify and report system exception conditions like kernel failures (kernel oops) and userspace application crashes.
* Compiler and tools
The GCC compiler has been updated to version 4.4. This version complies with the C++ 0x standard draft. It also conforms to OpenMP 3.0 and includes many debugging capabilities. SystemTap improvements include better support for user-space probing, a more secure script-compile server and a new unprivileged mode that allows non-root users to access SystemTap. Additionally, there are many other libraries that have been updated to the latest versions, as well as additional languages and runtime environments, including the complete LAMP stack and OpenJDK.
* Desktop
This release introduces automatic detection of display types and support for multiple displays. We have also included updated nouveau drivers to support NVIDIA graphics devices. Of course, no release would be complete without significant updates to the GNOME and KDE desktops.

Toda nota oficial pode ser encontrada em:
http://press.redhat.com/2010/04/21/red-hat-enterprise-linux-6-beta-available-today-for-public-download/

Forçando envio MX no Cpanel para situações de DNS não ajustado – Workaround

Standard

Recentemente, um cliente reclamou que seus emails não chegavam à caixa postal do destinatário.
Verifiquei que o domínio do destinatário em questão está hospedado em uma conta Windows na Locaweb, mas com os MX apontando para a Alog.
Eu tenho vários clientes com o Google Apps. Ou seja, estão hospedados no meu servidor mas utilizando o MX do Google. Todos funcionando beleza e nunca precisei editar configurações específicas no Exim do meu servidor. Mas neste caso, enquanto não se resolve a questão da configuração do DNS na Locaweb, optei por um recurso que eu desconhecia mas que atendeu ao meu cliente que agora consegue enviar os emails.
Resolvi compartilhar esta informação. Quem sabe alguem passe pelo mesma situação…
O problema foi resolvido adicionando a linha abaixo ao /etc/exim.conf:
allow_mx_to_ip = yes

Fonte: Luiz_Araujo:
http://www.forumcpanel.com.br/index.php?showtopic=8971&pid=40431&st=0&#entry40431

Fantástico e seus problemas em um ambiente CPANEL: Resolvendo o shell_exec Warning: shell_exec()

Standard


Se você utiliza-se do Fantástico DELUXE e nem em sonho entende o por que que este bendito pede shell_exec ativo, ou mesmo, conhece sobre shell_exec mas sabe que isto é um ponto a menos na segurança em um ambiente compartilhado, PSIU, se está precisando dele OFF esta dica é para você!

Para acabar de vez com a mensagem Warning: shell_exec() siga os passos abaixo:

(por prevensão vamos desabilitar o shell_exec no lugar correto)
Entre no /usr/local/lib/php.ini e insira a função shell_exec no parâmetro disable_functions
Em seguida use o seguinte comando:

/scripts/makecpphp

O Cpanel vai processar o php interno (não é o de uso dos domínios) do Cpanel e ajustar tudo :D.

Current hoje não, Realease é melhor! Cpanel/WHM updates: Specified package does not exist

Standard


Hoje eu passei por algo bem contraditório em minhas pesquisas sobre cpanel.
Desde 2008 utilizo current no estilo de updates que seto nas máquinas de clientes e hoje (05/04/2010) me deparei com algo bem maluco, recebi a seguinte mensagem:

Specified package does not exist

Quando um usuário tentava mudar um plano (pacote) de sua revenda.

Como resolver?

A indicação dada é de que, em casos como este deixe o update em modo RELEASE e atualize seu painel de controle (/scripts/upcp –force).

Abraços pessoALL.