How to Solve unexpectedly Error 500 (Timeout) PHP + FastCGI + IIS 7 (Windows 7/8/10/2008/2012 server)

Standard

I could found some links that could help you. The problem is the activityTimeout of your cgi module.

For my, works in summary this.

Open the dos console “cmd” and go to c:\windows\system32\inetsrv\ then, execute this command, changing the path of your php-cgiappcmd set config -section:system.webServer/fastCgi "-[fullPath='C:\php\php-cgi.exe'].activityTimeout:3600"

FIAT + FIORI – UMA PARCERIA DE BABACAS FOREVER ALONE

Standard

A concessionária Fiori, revendedora da linha Fiat em João Pessoa, comercializou em dezembro de 2011 um veículo ‘Novo Palio’, modelo 2012, de placas OFB-7139-PB, com falhas ao cliente José Fernando Santos de Carvalho.

De acordo com o comprador, dois dias após a aquisição do veículo, começaram os intermináveis problemas. Inicialmente, o veículo não deu partida, ou seja, quando a chave de ignição era acionada, o painel não acendia e o carro não ligava o motor.

Indignação
“Procurei a Fiori para solucionar o problema e ‘eles’ (Fiori) não detectaram nenhuma anomalia, informando que o carro estava em perfeitas condições de uso. No entanto, o problema persistiu e eu retornei diversas vezes na concessionária para relatar a mesma anomalia, além de outros tantos, como um alarme de velocidade excedida sem que o veículo estivesse em tal condição. Houve travamento de porta-malas, ponteiro pulando, computador de bordo todo sem regulagem, entre outros problemas”, disse José Fernando.

Medo
O consumidor prejudicado teme pela sua vida e da sua família. Ele revelou que por conta de sua vida profissional, necessita  viajar constantemente. “Eu não posso nem me arriscar, pois não confio mais no Palio que adquiri na Fiori. Vou procurar meus direitos e tenho fé que tudo será resolvido”, desabafou José Fernando.

O outro lado

A reportagem do Paraíba Já entrou em contato com a Fiori, pelo 3208-1512, porém, a ligação passou por diversos ramais e acabou sendo desligada.

Paraíba Já

 

 

=============

 

http://paraibaja.com.br/?p=noticia_int&id=19509

 

Defeito de fábrica em Novo Palio 2012 e o descaso da FIAT

Nos ultimos 3 meses e meio, tenho retornado à Concessionária Fiat varias vezes. O fato é que comprei um carro(NOVO PALIO 2012) com anomalias, que eles nao conseguem resolver. Eles alegam: “O carro está em perfeitas condicoes de uso”.

Pasmem, ja experimentei porta-malas eletrico travado(no dia que ia viajar para ser padrinho de casamento), computador de bordo informando problemas no motor, dificuldades pra ligar o carro, ponteiro do velocimetro “PULANDO”, cortes na ingestão de combustível enquanto em movimento, controle das portas não respondendo e outras falhas na entrega do produto(direção desalinhada, risco no painel, peças alteradas).

Eu ja não aguento mais relatar o problema a empresa ou ficar vários dias à pés, por deixar o carro na Concessionária. Passo por diversos transtornos e incovenientes.

Tenho um filho de 1 ano. Todo pai sabe que “é lei”, chegar em casa e dar uma voltar na rua com o bebe pra ele nao chorar.Ficar se o unico carro da familia é MUITO PROBLEMATICO.

Faço viagems constantes à refice-PE, devido ao meu mestrado na UFPE e tenho MEDO DA INTEGRIDADE FISICA DA MINHA FAMILIA.

Sugiro que NÃO COMPREM VEICULOS FIAT, É JOGAR DADOS COM A SORTE. se o carro sair bem, ok, senão, vc ESTARÁ NO PREJUIZO (FATO).

 

Client cannot log in. – Home Directory Inccessable

Standard

Se isso acontece com o plesk, verifique se você já fez o seguinte:

1 – Tentou ativar o modo UNIX no ftp.

2 – Verificou se as permissões de pasta no root do ftp estão ok (padrão nas contas de ftp é a pasta httpdocs ou / do vhost do cliente).

3 – Rodou -> “%plesk_bin%\ftpmng.exe” –remove-all “%plesk_bin%\ftpmng.exe” –reconfigure-all

4 – RODOU:

net stop MSFTPSvc
net start MSFTPSvc

5 – Por fim criou o dword HKEY_LOCAL_MACHINE\System\CurrentControlSet\Services\InetInfo\Parameters\DisableMemoryCache e deu 1 como valor

SE NÃO rolou nada para o ftp, mesma mensagem de erro? Ainda persiste o erro?

Que tal tentar o FTP para acesso do main ip? LOL, por incrível que pareça as vezes o maion ip precisa ser ajustado como host na conexão de ftp 😉

Error: Unable to update the mail account properties:mailmng failed: Loaded Postoffice Configuration Provider (MEAIPO.DLL) There are no domains for post office: at (MailEnable::MailEnableMailName::MailEnableMailName line 70) at execute console command –add-mailname(vconsoleapp::start line 132) at execute “C:\Program Files (x86)\Parallels\Plesk\/admin/bin/mailmng” –add-mailname –domain-name= (vconsoleapp::run line 143)

Standard

Recebeu o erro acima?

Existem 2 vertentes para sanar seu problema:

 

1 – O seu PLESK é muito recente e não reconhece a versão do seu Mailenable,

2 – Seu Mailenable está precisando ser reintegrado no plesk.

 

Mesmo que você mande o plesk listar os componentes (procedimentos padrão) ele ainda vai dar erro. Qual a saída?

Entre na pasta de admin do plesk e na pasta bin (VIA MS-DOS) e execute:

mchk.exe --all --fix=all
Deve sanar o problema.

Como fazer tunning do Terminal Server na windows server 2003

Standard


Eliminate IE Flickering: Configure this setting to force off-screen composition of Internet Explorer, which eliminates the flickering effect. In HKEY_ CURRENT_USER\Software\Microsoft\Internet Explorer\Main, set the DWORD value for Force Offscreen Composition to 1.

Disable Office 2003 Customer Experience Improvement Program: Configure this setting to prevent Office from prompting the user to participate in this program. To enable, in HKEY_ CURRENT_USER\Software\Microsoft\Office\Common, set the DWORD value for QMEnable to 1.
Disable File Locking: Configure this setting to modify the file locking behavior on the server. This will enhance performance, but it's known to have issues with some database applications. To enable, in HKEY_LOCAL_ MACHINE\System\CurrentControlSet\Services\LanmanWorkstation\Parameters, set the DWORD value for UseLockReadUnlock to 1.

Disable NTFS Last-Accessed Time Stamping: Configure this setting to prevent the system from updating the last accessed time stamp on files, which can enhance performance. Some applications require this to be accurate, so test prior to implementing. To enable, in HKEY_LOCAL_ MACHINE\System\CurrentCon trolSet\Control\FileSystem, set the DWORD value for NtfsDisable LastAccessUpdate to 1.
Turn off Lazy Writes: This setting prevents the system from caching write operations before writing them to disk. This can speed operation over the network. Configure the following two keys: In HKEY_LOCAL_MACHINE\ System\CurrentControlSet\Services\ LanmanServer\Parameters, set the DWORD value for IRPStackSize to 15. Also, in HKEY_LOCAL_MACHINE\ System\CurrentControlSet\Services\ LanmanWorkstation\Parameters, set the DWORD value for UtilizeNT Caching to 0.

Improve Windows Kernel Performance: Prevents the system from paging kernel mode drivers and system code to disk, which can decrease performance. To configure: In HKEY_LOCAL_ MACHINE\System\CurrentCon trolSet\Control\Session Manager\ Memory Management, set the DWORD value for DisablePagingExecutive to 1.

Increase the Network Request Buffer: This setting boosts performance by increasing the size of the network request buffer, which determines how much data is stored before it is sent to the client. This setting can also improve LAN Manager file writing performance. Increasing the size of this buffer will consume RAM, so adjust and monitor carefully. To enable, in HKEY_ LOCAL_MACHINE\System\Current ControlSet\Services\LanmanServer\Parameters, increase the DWORD value for SizReqBuf to a value between 1024 and 65535.

Eliminate Session Hangs During Logoff: Terminal Server sessions can sometimes hang when the user attempts to log off. One solution: Modify available network buffers and open connections. Configure the following keys: In HKEY_LOCAL_MACHINE\ System\CurrentControlSet\Services\ LanmanServer\Parameters, set the DWORD value for MaxWorkItems to 8196, MaxMpxCt to 2048, MaxRaw WorkItems to 512, MaxFreeConnections to 100, and MinFreeConnections to 32. In KEY_LOCAL_MACHINE\ System\CurrentControlSet\ Services\LanmanServer\Parameters, set the DWORD value for MaxCmds to 2048. Also, in HKEY_LOCAL_ MACHINE\System\Current ControlSet\Control\SessionManager\ ConfigurationManager, set the value for RegistryLazyFlushInterval to 60. Lastly, ensure that the Enable Advanced Performance feature is enabled when viewing device properties of all disk drives on the system.

Speed up Application Load Times: Increase the perceived performance of your Terminal Server by pre-loading commonly used files into memory. This works well on systems with plenty of available RAM. To enable, in HKEY_ LOCAL_MACHINE\System\ CurrentControlSet\Control\Session Manager\Memory Management\ PrefetchParameters, set the DWORD value for EnablePrefetcher to 3.

Disable Caching of Roaming Profiles: Excess roaming profiles on a Terminal Server can consume disk and Registry quota space. Configuring this setting can eliminate waste but increase user's login time. To enable, in HKEY_ LOCAL_MACHINE\Software\ Microsoft\Windows NT\Current Version\Winlogon, set the DWORD value for DeleteRoamingCache to 1.

Disable Unused Subsystems: Not using the POSIX subsystem on your Terminal Server? Disable it and navigate to the registry location HKEY_LOCAL_ MACHINE\System\CurrentCon trolSet\Control\Session Manager\ Subsystems and delete the Posix key. Disable the File Indexing Service: File Indexing Service is great for quickly searching for files, but your Terminal Server arguably shouldn't have that many user files on it and the indexing process can consume huge system resources. To disable it, navigate to the properties menu of each drive on your system and deselect the box for Allow Indexing Service to index this disk for fast file searching.

O registro do windows deve assemelhar-se com:

Windows Registry Editor Version 5.00
[HKEY_CURRENT_USER\Software\Microsoft\Internet Explorer\
Main]
"Force Offscreen Composition"=dword:00000001

[HKEY_CURRENT_USER\Software\Microsoft\Office\Common]
"QMEnable"=dword:00000001

[HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Services\
LanmanWorkstation\Parameters]
"UseLockReadUnlock"=dword:00000001

[HKEY_LOCAL_MACHINE\System\CurrentControlSet\Control\
FileSystem]
"NtfsDisableLastAccessUpdate"=dword:00000001

[HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Services\
Lanman Server\Parameters]
"IRPStackSize"=dword:0000000f
[HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Service\
Lanman WorkStation\Parameters]
"UtilizeNTCaching"=dword:00000000

[HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Control\
Session Manager\Memory Management]
"DisablePagingExecutive"=dword:00000001

[HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Services\
LanmanServer\Parameters]
"SizReqBuf"=dword:0000ffff

[HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Services\
Lanmanserver\Parameters]
"MaxWorkItems"=dword:00002004
"MaxMpxCt"=dword:00000800
"MaxRawWorkItems"=dword:00000200
"MaxFreeConnections"=dword:00000064
"MinFreeConnections"=dword:00000020
[HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Services\
Lanmanworkstation\Parameters]
"MaxCmds"=dword:00000800
[HKEY_LOCAL_MACHINE\System\CurrentControlSet\Control\
Session Manager\Configuration Manager]
"RegistryLazyFlushInterval"=dword:0000003c

[HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Control\
SessionManager\Memory Management\PrefetchParameters]
"EnablePrefetcher"="3"

[HKEY_LOCAL_MACHINE\SOFTWARE\Microsoft\Windows NT\
CurrentVersion\Winlogon]
"DeleteRoamingCache"=dword:00000001

http://redmondmag.com/articles/2006/06/01/speed-up-terminal-server.aspx

Service Unavailable HTTP Error 503 – Coisas que só o IIS pode “proporcionar” a você

Standard

Das coisas que mais me irritam a mais especial é a falta de logs precisos por parte do sistema operacional. Em se tratando de Microsoft aí é que a coisa pega e pega FEIO!

Um dos erros que me fizeram gastar aproximadamente 8 horas de troubleshooting foi o erro Service Unavailable HTTP Error 503. Das coisas que mais se alegam são:

– Chaves pré-definidas junto aos serviços do IIS:
http://blogs.iis.net/webtopics/archive/2010/02/17/a-not-so-common-root-cause-for-503-service-unavailable.aspx
e
http://blogs.msdn.com/b/drnick/archive/2006/10/16/configuring-http-for-windows-vista.aspx

– Contas sem autoridade junto ao IIS:
http://social.msdn.microsoft.com/Forums/en/mdmsetup/thread/4689da4a-0452-45b6-bbb4-21ccb76d8ff9

– IIS operando com recursos de 32 bits em plataformas 64 bits:
http://forums.asp.net/p/1502755/3560390.aspx

– IIS com “loucuras” que só Deus para não duvidar:
http://www.microsoft.com/technet/prodtechnol/WindowsServer2003/Library/IIS/55f71614-ef1b-4015-b9c8-a42c1e700c25.mspx?mfr=true

– Falaram que pode ser algum sysadmin modificando algo, por isso o downtime:
http://www.checkupdown.com/status/E503_pt.html
http://technet.microsoft.com/pt-br/library/cc736325%28WS.10%29.aspx

Caso você tenha “passado” pelos pontos acima e nenhum deles “sanou” seu problema, e além disso, você tem CERTEZA de que sua appweb está 100% depurada, debug 100% ok, tudo filé, e ainda tem CERTEZA que nenhum admin andou fazendo besteira em seu servidor, a saída pode ser alcançada da seguinte forma:

1 – Observe se existe alguma tabela corrompida em suas consultas SQL na appweb (caso consiga – detalhe, foi meu caso com BDs do tipo Mysql).
2 – Permissões em arquivos remotos ou tempo de resposta a tais chamadas.

Perceba que não é erro em nada de configuração, servidor e etc (evite loucuras como as minhas de tuning, pensando que era um erro de alto processamento, i/o e etc).

Normalmente os logs ineficientes (ex: 503 “n/a” nome do POOL_com_paranente_problema) do IIS falam que o pool de aplicativos “XXX” (nome que você deu ao pool) para rodar aplicativos DOTNET expirou/expulso/estuprou/estrangulou e etc a requisição (quer seja por POST ou GET). (na pasta logfiles dentro de windows – aonde o iis guarda seus logs)
O mais top dos erros:

1. “Connection_Dropped DefaultAppPool”
2. “Connection_Abandoned_By_AppPool DefaultAppPool”

Mesmo que você venha utilizar-se do software de debug que a MS tem, sinto muito em lhe avisar, mas será em vão utilizar-se tal ferramenta!
Siga os meus conselhos nas linhas em negrito, aquilo ali pode salvar seu dia. Use um frontend para executar suas querys e ver se não estão ali as saídas.

Ferramenta: http://support.microsoft.com/kb/919792/

Como remover URLSCan do IIS

Standard

Para remover o URLScan do IIS siga os passos abaixo no windows em inglês:

Start—> Programs—> Administrative Tools —> Services

Pare o IDC.

Agora vamos gerenciar o iis:

Start—> Programs Administrative Tools—> Internet Services
Manager

Dê um duplo clique no servidor e em seguida clique com o botão direito sobre Default Web Site. Clique nas propriedades (Properties).
Procure uma aba chamada ISAPI Filters, selecione UrlScan filter e clique em REMOVE.

Clique em Ok e depois reinicie todos os serviços referentes ao IIS.

Abraços.

Como reparar o firewall do Windows

Standard

use o Regedit!

HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Services\SharedAccess\Epoch

Query Value;Set Value

HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Services\SharedAccess\Parameters\FirewallPolicy

Full Control;Read

HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Services\SharedAccess\Defaults\FirewallPolicy

Full Control;Read
For the DHCP Client service, the issue may occur if the “NT
Service\DHCP” account does not have the necessary permissions for the
following keys:

Registry key:
HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Services\Dhcp
permission needed: Query value, Create value, Enumerate Subkeys,
Notify, Read Control

Registry key:

HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Services\Dhcp\Configurations
permission needed: Full Control, Read

For the “Diagnostic Policy Service” service, the issue may occur when
the account Trustedinstaller is missing the permissions for the key
below:

HKEY_LOCAL_MACHINE\SYSTEM\CurrentControlSet\Services\DPS\Parameters

permission needed: Full Control, Read

Source: http://support.microsoft.com/kb/943996

Full post can be viewed at:
http://www.jasonross.name/2008/12/windows-vista-firewall/

Lista de funções para desabilitar em um ambiente CPANEL de Hospedagem de Sites compartilhada

Standard


Bem, se você quer mais segurança em um ambiente compartilhado você precisará de ajustar seu php.ini global (/usr/local/lib/php.ini) em seu servidor de hospedagem compartilhada afim de prevenir ataques usando recursos avançados do php.

Como faremos isto?

Procure pela linha disable_functions =

e depois do ‘=’ aplique as seguintes funções:

dl, system, exec, shell_exec, chown, chgrp, escapeshellcmd, putenv, popen, pclose, passthru, proc_open, proc_get_status, proc_nice, proc_close, proc_terminate, posix_ctermid, posix_get_last_error, posix_getcwd, posix_getegid, posix_geteuid, posix_getgid, posix_getgrgid, posix_getgrnam, posix_getgroups, posix_getlogin, posix_getpgid, posix_getpgrp, posix_getpid, posix_getppid, posix_getpwnam, posix_getpwuid, posix_getrlimit, posix_getsid, posix_getuid, posix_isatty, posix_kill, posix_mkfifo, posix_setegid, posix_seteuid, posix_setgid, posix_setpgid, posix_setsid, posix_setuid, posix_strerror, posix_times, posix_ttyname, posix_uname

Talvez você precisará do shell_exec para o caso do Fantástico Deluxe.
Avalie se vale a pena deixar esta função ativa e prossiga 😀

post_max_size uma informação a mais na hora de aumentar o UPLOAD no php.ini

Standard


Olá ALL,
As vezes erramos quando somente aumentamos diretivas do PHP visando upload, tais como:

max_execution_time,
upload_max_filesize,
e até mempory_limit.

Elas até que estão corretas, assim como max_execution_time, só que os forms que enviam dados (refiro-me a arquivos), fazem envio de arquivos pelo método post.
Sendo assim, se quisermos um upload de 96M em um servidor rodando php precisamos colocar no php.ini a informação de qual o tamanho máximo de envio de dados pelo POST.
A saída então seria:

post_max_size = 96M

Isto dentro do PHP.INI.

Pronto, após ajustes o apache deverá ser reiniciado.

Abraços galera!

Como fazer SEO completo URL-Rewrite no IIS com WordPress?

Standard


Prezados, sou conhecido na comunidade opensource por causa de meus how tos, procuro não omitir informações a ninguém e mais uma vez lá vai uma dica quente:

Se você está sofrendo com o que eu sofri, deixar o worpress sair do basicão do seo no iis, estilo:

site.com.br/index.php/meu-post

Basta seguir os passos abaixo:

1 – baixe o arquivo dll:

http://wp-url-rewriting-on-iis.googlecode.com/files/wp-url-rewriting-2.1-win32.zip
Ou para 64 bt:
http://wp-url-rewriting-on-iis.googlecode.com/files/wp-url-rewriting-2.1-X64.zip
Extraia o arquivo para c:\windows\system32\

2 – Crie um filtro ISAPI dentro do IIS no domínio desejado com o nome:
url-rewrite.
No botão browse procure pelo arquivo wp-url-rewriting.dll dentro da pasta c:\windows\system32\ e selecione-o.

Pronto.

Feito isto o site deverá apresentar o SEO (permalinks) do WordPress de maneira satisfatória.

Abraços.

You must specify a FilePath to the XML file you want to load!

Standard

Se você está recebendo mensagens de erro neste estilo aqui ó:

You must specify a FilePath to the XML file you want to load!

This message error:

[Exception: You must specify a FilePath to the XML file you want to load!]
nDeveloper.Util.Config.ConfigEditor.AllParameters() +136
nDeveloper.Util.Config.ConfigEditor.LoadConfigFile() +16
nDeveloper.Util.Config.ConfigEditor..ctor(String FilePath) +133
nDeveloper.BO.Base.Config.ConfigFile.GetValue(String Key) +40
nDeveloper.BO.Base.Domain.DataBaseConfig.GetServerType() +42
nDeveloper.BO.Base.Domain.DataBaseConfig.GetConnectionString() +61
Vsoft.iPortal.BO.DataAccess.BaseDb..ctor() +38
Vsoft.iPortal.BO.DataAccess._NoticiaDA..ctor() +24
Vsoft.iPortal.BO.DataAccess.NoticiaDA..ctor() +24
Vsoft.iPortal.BO.BusinessLogic.Noticia.ListaNoticias(Nullable`1 SecaoID, Int32 Quantidade, Nullable`1 CaracterizacaoID) +48
Start_Default.CarregaDestaques() +173
Start_Default.Page_Load(Object sender, EventArgs e) +30
System.Web.Util.CalliHelper.EventArgFunctionCaller(IntPtr fp, Object o, Object t, EventArgs e) +15
System.Web.Util.CalliEventHandlerDelegateProxy.Callback(Object sender, EventArgs e) +33
System.Web.UI.Control.OnLoad(EventArgs e) +99
System.Web.UI.Control.LoadRecursive() +47
System.Web.UI.Page.ProcessRequestMain(Boolean includeStagesBeforeAsyn

Nada de dor de cabeça, há uma probabilidade enorme do seu sistema não estar deixando o IIS e o ASPNET acessarem a pasta que contém o arquivo XML.

E digo mais, é comum também de tabela receber este erro aqui:

Detalhes da Exceção: System.UnauthorizedAccessException: Acesso ao caminho “C:\Inetpub\wwwroot\caminho\dados\arquivo_problema.xml” foi negado.

Nas propriedades da pasta dados, altere as permissões da conte \ASPNET ou IUSR_MACHINENAME. A mensagem de erro fornece uma breve descrição sobre os dois casos :

“O ASP.NET não está autorizado a acessar o recurso solicitado. Recomenda-se conceder à identidade de solicitação do ASP.NET direitos de acesso ao recurso. O ASP.NET tem uma identidade de processo-base (geralmente {MACHINE}\ASPNET no IIS 5 ou Serviço de Rede no IIS 6) que é usada se o aplicativo não estiver sendo representado. Se o aplicativo estiver sendo representado através de , a identidade será o usuário anônimo (geralmente IUSR_MACHINENAME) ou o usuário de solicitação autenticado. “

path ou caminho das estatísticas de domínios no plesk

Standard

Muitas vezes precisamos de estatísticas (LOGS DO DOMÍNIO) para analizar algum erro em um servidor e nos deparamos comum certo dilema:

O plesk não é como “as coisas naturais do iis são”… lol
É isto mesmo, os logs que mostram erros críticos em um site não ficam localizados em:
C:\Windows\System32\LogFiles\W3SVCXXXXX (aonde XXXXX são números).

Caso queira achar uma informação proveitosa de um domínio a saída está aqui:

C:\INETPUB\VHOSTS\SITEASERANALIZADO.COM.BR\STATISTICS\LOGS\W3SVCXXXXX (XXXXX = números)

Se achar a resolução do problema, pls, dê um whois no meu domínio, ache minha casa e me mande uma caixa de BIS, please!

Como instalar sistemas operacionais remotamente pelo Windows 2003 Server

Standard

AP754 – RIS – Serviços de Instalação Remota

Autor: Hélio Galvão
Publicação: 18/Agosto/2006

Overview

Em grandes redes corporativas, instalar sistemas operacionais nas estações pode ser um processo lento e trabalhoso. Pensando na questão da automação, da padronização e também da centralização de informações, a Microsoft desenvolveu o RIS, encontrado em algumas versões do Windows Server.

O RIS (lê-se “rís”) é uma ótima ferramenta administrativa, que de uma forma resumida, armazena a imagem* de um determinado sistema operacional e permite que clientes conectados através da rede instalem este sistema sem a necessidade de CD’s e/ou disquetes**.

Irei abordar neste artigo a instalação do Windows XP Professional com base em um Servidor Windows 2003 Standard Edition, no modo de idioma nativo (português) e em modo “multi-language”, para os casos em que o idioma do servidor for diferente do cliente (e vice-versa).

Ex.: Windows Server 2003 em inglês e Windows XP Pro em português.

*Na verdade, quando falamos imagem, pensamos em um arquivo como o gerado pelo Norton Ghost©, porém neste caso, a “imagem” nada mais é que o CD de instalação do sistema operacional alocado em um diretório definido pelo usuário.

**O disquete será necessário em um caso específico que abordaremos adiante.



Solução

:: Itens necessários para utilização do RIS ::

-Servidor Windows com Active Directory® e zona integrada* ao AD;
(o servidor pode ser controlador de domínio ou membro dele)
-Servidor DHCP ativo e autorizado;
-Espaço em disco no servidor para armazenarmos os arquivos do Windows XP;
-CD de instalação do Windows XP Professional;
-CD de instalação do Windows 2003 Std. Edition;
-CD de instalação do Windows 2000 Professional (opcional);
-Cliente com placa de rede (NIC) que suporte o recurso PXE ou placa de rede com suporte** ao disquete de inicialização do RIS;

*Muitos tutoriais e artigos não informam, mas a zona DNS deve ser preferencialmente integrada ao AD. No Windows Server 2003, ao elegermos um DC, a zona criada fica integrada ao AD, por padrão.

*Confira a lista de adaptadores de rede compatíveis com o disquete de inicialização do RIS mais adiante neste tutorial.

PXE = Pre-Boot Execution Environment

Acesse o link: http://en.wikipedia.org/wiki/Preboot_Execution_Environment e obtenha maiores informações sobre PXE.

:: Sistemas operacionais suportados para se efetuar a instalação remota ::

-Windows XP Professional;
-Windows Server 2003, Standard, Enterprise x32 e x64, e Web Editon;
-Windows 2000 Professional, Server e Advanced Server.

Info: Os dados acima foram retirados do site da Microsoft.

Nota: Recomendo para testes o VMWARE, pois sua interface de rede suporta o PXE.

:: Iniciando o Trabalho ::

Acesse a ferramenta “Adicionar ou Remover Programas” no Painel de Controle do Windows 2003. Clique em “Adicionar ou Remover Componentes do Windows”. Ao abrir a lista, procure pelo item “Serviços de Instalação Remota” e instale-o. O CD do Windows Server será solicitado para finalização desta tarefa.

1

Ponto-Chave: Verifique se o servidor DHCP está OK, bem como DNS, pois são cruciais para que o cliente encontre os serviços na rede.

Recomendo reiniciar o servidor após instalar o RIS. Em alguns testes, o serviço não pôde ser contatado, e não descobri por que. De fato o sistema nem pede para ser reiniciado, então por uma questão óbvia não o fiz, mas (…)

Após reiniciar o servidor, abra as Ferramentas Administrativas e clique sobre o item “Programa de Instalação dos Serviços de instalação remota”.

2

Por se tratar de um primeiro acesso, será aberto um assistente, o clássico “next next finish”, mas algumas opções têm sua importância. Reserve um minuto e veja abaixo a lista que o assistente solicita para o RIS.

3

Especifique o local físico para armazenar as imagens (arquivos de instalação) dos sistemas operacionais que estarão disponíveis para os clientes. Uma boa prática é colocar em um HD separado, ou então, em uma outra partição. Tenha em mente que o que será mais usado é: transferência de dados (rede/disco).

4
Na tela abaixo, marque a primeira opção, caso contrário os clientes não encontrarão o serviço na rede.

5

Nesta parte, insira o CD do Windows XP Professional. O assistente copiará os arquivos para o diretório das imagens, especificado anteriormente.

6

Abaixo será solicitado que o usuário entre com o nome do diretório onde os arquivos de instalação ficarão armazenados. Por padrão, o sistema retornou o nome “WINDOWS”, mas achei um tanto genérico e renomeei para “WINXP”. Não utilize nomes grandes, dê preferência a algo simples e intuitivo, como WIN2KPRO, WIN2K3S, WIN2K3W.

7

Na descrição da imagem, deixei a mensagem padrão.

8O
Após conferir os dados…

9

…o assistente começa a cópia dos arquivos localizados no CD-ROM.

10

Após a cópia, teremos finalizado praticamente a parte mais longa da tarefa de preparação de nosso serviço de instalação remota. Na próxima parte, utilizaremos nosso tempo para realizar uma “autópsia”, com o intuito de simplificar e descobrir algumas coisas do RIS.

:: Diretórios Utilizados pelo RIS ::

Caso não lembre, definimos o diretório D:\RemoteInstall para abrigar os serviços disponíveis através do RIS. Este diretório é compartilhado por padrão, com o nome de REMINST. Nota: Não é necessário alterar NADA em suas permissões.

Na figura abaixo, destacarei apenas um arquivo, o rbfg.exe. Este pequeno executável é o Gerador de Disquete de Instalação Remota para interfaces de rede que não possuem o ROM de boot remoto (PXE). Lembre de consultar a lista de compatibilidade, pois nem todas as interfaces suportam este recurso. Se a interface a ser utilizada não é compatível, não perca tempo gerando o disquete. O arquivo riprep.exe será debatido em outro artigo, mas para os curiosos, este utilitário é um gerador de imagem de sistema operacional, mas já com aplicativos instalados. Não falaremos sobre ele, pois será necessário um breve bate-papo sobre HAL, MassStorage Devices, ChipSets (…)

Info: Para consultar a lista de interfaces compatíveis, execute o rbfg.exe e clique sobre o botão “Lista de Adaptadores”.

11

No diretório abaixo, localizamos dois arquivos com a extensão .osc. Mais adiante falaremos sobre estes arquivos, que nada mais são que as telas de instalação que serão visualizadas pelos clientes RIS.

12
Abaixo, podemos ver o diretório onde estão armazenados os arquivos de startup do cliente, que serão executados no ambiente “pre-boot”. Quando o cliente inicia a máquina e pressiona F12 para que o boot seja efetuado pela rede*, a interface busca um IP via DHCP e inicia todo o processo, solicitando novamente que se pressione F12 ao encontrar um serviço disponível.

13

Dica: Caso queira automatizar um pouco esta inicialização, renomeie o arquivo startrom.com para startrom.old e o arquivo startrom.n12 para startrom.com. Desta maneira, não será necessário pressionar F12 após ter um IP atribuído e o serviço encontrado.

Info: *Em algumas situações será necessário definir na BIOS que a interface de rede participe do processo de BOOT, caso contrário não conseguiremos conexão cliente-servidor. Ex.: Um determinado PC já possui um sistema operacional instalado e não apresenta a opção de BOOT pela rede através do F12. Na BIOS foi definido que a interface de rede não participa da seqüência de boot, ou até participa, mas em uma posição posterior ao HD/CD/Floppy. O que ocorrerá é que o HD por já possuir um S.O, “não dará chance” ao usuário iniciar o processo pela rede.

No diretório marcado abaixo, podemos ver mais arquivos .osc, que são as telas de instalação do RIS, vistas pelo cliente, para o idioma “Portuguese”.

Nota: Estas telas estão em inglês, e adiante veremos como customizá-las.

14

Na figura a seguir, vemos um diretório de extrema importância, que é o “templates”. Este diretório armazena o arquivo ristndrd.sif, que é um arquivo de respostas para instalações automatizadas do Windows.

15

Info: Após gerar a imagem, o RIS cria um arquivo de respostas padrão, localizado em RemoteInstall\Setup\Portuguese\Images\WINXP\i386\templates, porém podemos criar um NOVO arquivo de respostas, substituindo o atual OU utilizando-o como mais uma opção na instalação automatizada. Veremos adiante como fazer isso, inclusive oferecendo ao usuário opções de instalação (automática, customizada – onde se pode definir o nome da maquina, ou a terceira opção, que é continuar uma instalação mal-sucedida e também a opção de manutenção – que não será abordada neste artigo).

:: Conhecendo, Editando e Preparando as Telas de Instalação do RIS ::

Procure pelo diretório D:\RemoteInstall\OSChooser e verifique os arquivos com extensão .osc. Abra algum deles com o bloco de notas, e verá que é bem parecido com HTML.

Sim, podemos padronizar estas telas, obedecendo claro, sua sintaxe. Estes arquivos, como dito anteriormente, são as telas que o cliente utilizará durante todo o processo oferecido pelo RIS.

No momento em que o cliente encontra o serviço disponível na rede e o executa, a primeira tela a ser mostrada é D:\RemoteInstall\OSChooser\welcome.osc. A partir deste item, o usuário segue para outras telas, de acordo com o que for definido como padrão ou de acordo com suas escolhas. Basicamente é isto que ocorre.

Ponto-Chave: Volte a consultar este tópico no momento em que formos instalar o sistema no cliente.

Após ligeira explicação, trataremos em primeiro plano a instalação no modo de nosso idioma nativo (português, sendo único idioma disponível).

Ao passar pela primeira tela (welcome.osc), seguiremos para D:\OSChooser\Portuguese\login.osc, onde precisaremos autenticar o usuário que fará a instalação. Veremos isso durante o processo cliente.

As próximas telas referem-se às opções de instalação e serão descritas no próximo tópico: “Automação com Arquivos de Respostas e Opções de Instalação”.

No modo multi-language (2 ou mais idiomais disponíveis), precisamos renomear o arquivo D:\RemoteInstall\OSChooser\welcome.osc para algo diferente, como welcome.old, copiar o arquivo multilang.osc como welcome.osc, e depois editá-lo, de acordo com as opções de idiomas que desejamos oferecer. Observe atentamente a sintaxe, os exemplos presentes no arquivo modelo são bem claros.

A diferença agora é que ao acessar o serviço, o cliente verá uma tela de boas vindas (welcome.osc) com as opções de idioma definidas pelo administrador (é, você mesmo!). O restante segue o padrão explicado acima, mas lembre que o diretório referente ao idioma selecionado deve existir em \RemoteInstall\OSChooser\[Idioma] contendo os arquivos .osc.

Ex.: Para o Francês: \RemoteInstall\OSChooser\French

Além disso, dentro do diretório criado para as imagens, deve haver algum Sistema Operacional disponível para o idioma que você definiu, caso contrário não fará muito sentido!
:: Automação com Arquivos de Respostas e Opções de Instalação ::

Como mencionado anteriormente, o RIS gera um arquivo de respostas padrão, chamado ristndrd.sif.

Podemos utilizar o setupmgr.exe para gerar um novo arquivo de respostas para o RIS. Caso não esteja familiarizado com esta ferramenta, não se preocupe. É bem simples e nada que 15 minutos de estudo não resolva. Esta ferramenta é encontrada no CD do Windows XP, em \SUPPORT\TOOLS. Procure por Deploy.CAB e extraia seu conteúdo para um diretório qualquer em sua máquina, de preferência com o nome “Deploy” mesmo! Ao gerar o arquivo de resposta pelo setupmgr.exe (utilizando a opção do RIS, claro!), podemos associá-lo a uma imagem já presente no diretório de distribuição, inserindo o arquivo como mais uma opção, ou então substituindo o arquivo padrão que foi gerado (ristndrd.sif). Temos duas opções, e a mais fácil é colocar o arquivo diretamente na pasta a seguir:

D:\RemoteInstall\Setup\Portuguese\Images\WINXP\i386\templates

Nota: Mesmo que o usuário defina um nome de computador no arquivo de respostas, este não será utilizado, e veremos adiante como isso será feito. Caso queira averiguar, gere o arquivo definindo um nome de computador. Abra o arquivo de respostas com o bloco de notas e veja que o nome de computador é uma variável!

A outra opção para associar um arquivo de respostas é mais trabalhosa, mas caso a queira utilizar, acesse “Usuários e Computadores do Active Directory” e procure pelo computador onde o RIS está instalado. Acesse suas propriedades e clique na aba referente à Instalação Remota.
Clique em “Opções Avançadas” e depois na aba “imagens”. Clique no botão “adicionar” e siga o assistente. Tudo que ele fará é copiar o arquivo de um local X para o local Y, no caso, o diretório:

D:\RemoteInstall\Setup\Portuguese\Images\WINXP\i386\templates

As figuras a seguir demonstram o passo-a-passo do procedimento descrito acima, além de mostrar o que discutimos sobre o nome do computador & variáveis.

16
Acesse as “Configurações Avançadas”…

17

…verifique a questão do “formato de nome do computador”…

18

…e as imagens/arquivos de resposta na aba “imagens”.

19

Antes de falarmos sobre as opções de instalação, vale lembrar que só estarão disponíveis caso o administrador as defina nas diretivas de grupo do domínio em questão. Edite esta diretiva, procurando na seção “Configuração do Usuário > Configurações do Windows > Serviços de Instalação Remota”. Não tem como errar! Faça as alterações necessárias, vamos adiante e lembre-se: não abordaremos a opção “Ferramentas”!

Ponto-Chave: Volte a consultar este tópico no momento em que formos instalar o sistema no cliente.

Instalação Automática: Nesta opção, a instalação utilizará as configurações de nome e localização da conta de computador de acordo com o que for definido na tela de configuração do RIS (Usuários e Computadores do Active Directory > Propriedades do Computador que abriga o RIS > Aba de Instalação Remota). Logo na primeira tela podemos encontrar as convenções de nome que podem ser utilizadas. Alguns exemplos: nome do usuário, número seqüencial, ou alguma seqüência de caracteres customizados.

Nota: Caso as diretivas não estejam definidas, esta será a única opção do usuário, e entrará automaticamente.

Instalação Customizada: Nesta opção, a instalação utilizará as configurações de nome e localização da conta de computador definidos pelo usuário. É uma ótima opção, pois é uma boa prática das empresas criarem um padrão de nomes para os computadores de acordo com o setor, etc. Assim o usuário ficará livre para utilizar um nome mais apropriado, de acordo com sua necessidade.

O próximo passo é a escolha do Sistema Operacional a ser instalado, porém, como criamos apenas uma imagem, não veremos outras opções. Caso queira, adicione posteriormente uma nova imagem, do Windows 2000 Pro, por exemplo. Leia no final deste documento o tópico extra sobre este assunto.

Caso queira adicionar outra imagem agora, veja na figura abaixo o assistente:

20

Voltando à nossa instalação, perceba que na tela em que escolhemos o sistema operacional, escolheremos na verdade qual arquivo de respostas será utilizado.

Ex.: Se possuo dois arquivos de respostas distintos, para instalação do Windows XP Pro, a instalação disponibilizará DUAS opções para este sistema operacional, mas a imagem que criamos é única, portanto o Windows XP será instalado a partir desta imagem, porém de acordo com o arquivo de respostas escolhido. Pode parecer confuso, mas a idéia é simples. O que ocorre, é que o processo é transparente para o usuário do serviço.

Dica: Edite o arquivo de respostas com o bloco de notas e altere sua descrição (no final do arquivo) para que fique algo documentado, resumidamente. Ex.: “Windows XP Pro SP2 com teclado ABNT2” ou “Windows XP Pro SP1 padrão”.

Após definir qual sistema será instalado, chegamos praticamente ao propósito final e teórico do RIS! No próximo tópico, faremos a instalação completa e automatizada de uma estação Windows XP Professional utilizando nosso servidor RIS!

:: Instalação do Cliente ::

Espero que já tenha preparado seu ambiente de testes! A seguir, podemos ver o boot através da interface de rede, já buscando um endereço via DHCP.

22

A próxima tela, é a famosa “welcome.osc”…

23

…e abaixo, “login.osc”:

24
Perceba que o serviço solicita a entrada de credenciais e informa o nome do domínio ao qual estou conectado, além do nome do servidor RIS, no caso, “MARGE” (isso mesmo, Marge Simpson…)

Na tela a seguir, podemos ver as opções de instalação, definidas via diretiva.

25

Se for escolhida a opção “Automática”, a instalação solicitará apenas que o usuário escolha a imagem a ser utilizada (arquivo de repostas/imagem, como discutido anteriormente). Caso haja apenas um arquivo de respostas/imagem, só haverá uma única opção. No exemplo abaixo, deixei o arquivo gerado pelo RIS e criei um personalizado, que já inclui a modesta chave do Windows, além de outras opções.

Lembre que nesse caso, o NOME da máquina será gerado de acordo com o padrão definido nas opções no Servidor RIS!

26

Se for escolhida a opção personalizada (custom setup), o usuário terá a liberdade para definir alguns parâmetros como Nome e localização da conta do Computador no domínio. Se colocarmos apenas o nome do computador, a conta será criada na Unidade Organizacional default, que é “Computers”.

27

A opção “Restart a Previous…” serve para continuar uma instalação que não obteve sucesso anteriormente. Se os arquivos básicos de instalação já tiverem sido copiados, estes não serão transferidos novamente.

A última opção refere-se às ferramentas de diagnóstico e resolução de problemas, mas como informado anteriormente, não as abordarei neste artigo.

Na imagem a seguir, recebemos um aviso antes da instalação do novo sistema:

28

Como optei pelo modo automático e também pela imagem associada ao meu arquivo de respostas, a instalação utilizará o arquivo de respostas criado por mim para efetuar a instalação. Perceba que o nome da máquina foi atribuído pela opção definida no servidor RIS e não pelo usuário, o que não ocorre no modo “custom”.

29

Após pressionarmos [ENTER], chegamos à próxima tela, a famosa “text-based installation” do Windows XP. A partir daí, se tudo estiver correto, a instalação será 100% automatizada, sem que você aperte uma tecla sequer.

30

Se você chegou até aqui, parabéns! O Servidor RIS foi implantado com sucesso!
A seguir, faço algumas recomendações básicas e disponibilizei também um tópico extra, para a instalação de novas imagens.

:: Práticas Recomendadas ::

1-Não utilize este recurso sobre redes lentas, ou WANs (que também costumam ser lentas se comparadas às LANs).

2-O RIS utiliza basicamente recursos de transferência de dados, portanto dê preferência a um disco dedicado no servidor.

:: Tópico Extra – Adicionando novas imagens em idioma nativo/não-nativo ::::

Acesse as Ferramentas Administrativas e clique sobre o item “Programa de Instalação dos Serviços de instalação remota.

21

Neste momento, duas opções serão disponibilizadas para o usuário, e escolheremos a primeira (“adicionar uma nova imagem…”). O assistente solicitará que você insira a mídia (ou outro local) contendo os arquivos de instalação do sistema operacional. Insira a mídia e prossiga. As demais opções são básicas e meramente informativas, com exceção de uma, onde o usuário terá que escolher entre três opções definidas por radio-buttons.

Lembre-se: caso queira alterar a descrição, NÃO utilize caracteres especiais (acentos etc.), pois as telas de instalação do RIS (os arquivos .osc) não suportam esta codificação.

Nota: Fique atento apenas na última tela que antecede a cópia do CD, onde o assistente pode ou não questionar o usuário sobre o que fazer com as telas de instalação do RIS.

Ponto-Chave: Caso o Windows pergunte algo sobre “telas de instalação”, marque a opção “utilizar as telas atuais”, caso contrário as telas que foram personalizadas serão substituídas.

Conclusão

Com este artigo/tutorial, mostramos como instalar o Serviço de Instalação Remota (RIS) no Windows Server 2003 .

Fonte: http://www.andersonpatricio.org/Tutoriais/AP754_b.html

Códigos de erros comuns do Outlook Express e Microsoft Outlook

Standard

ERRO 0X800CCC19 (OE) OU 0X8004210A (OUTLOOK 2002)
Erro: A opção Scan incoming Email and Scan outgoing Email está activada no programa Norton AntiVirus.
Solução: Desativar o antivirus e a consultar o suporte técnico do fabricante do seu Anti Virus.

ERRO 0X800CCC0E, ERRO DE SOQUETE 10061
Erro:
A opção Scan incoming Email and Scan outgoing Email está ativada no programa AntiVirus.
Solução: Desativar o antivirus e a consultar o suporte técnico do fabricante do seu Anti Virus.

ERRO 0X800CCC0D OU 0X800CCC0F
Erro:
O Norton AntiVirus poderá ter executado o LiveUpdate da Norton e instalado a atualização Script Blocking.
Solução: Desativar o antivirus e a consultar o suporte técnico do fabricante do seu Anti Virus.

ERRO: POP3 E SMTP ERRO DE SOQUETE 11001 Nº DO ERRO 0X800CCC0D
Erro:
Configuração do servidor pop3 ou smtp esta incorreta, a porta do servidor esta bloqueada, esta ligado a um servidor, ou esta sem comunicação com a internet.
Solução: Verificar se o cliente esta se comunicando com a internet, se possui firewall ou se esta ligado em rede.

ERRO: SMTP ERRO DE SOQUETE 11004 Nº DO ERRO 0X800CCC0D
Erro:
Configuração do servidor smtp esta incorreta.

ERRO: POP3 E SMTP ERRO DE SOQUETE 11060 Nº DO ERRO 0X800CCC0E
Erro:
Configuração da porta do servidor esta incorreta ou bloqueada.

ERRO: POP3 E SMTP N.º DO ERRO 0X800CCC0E 10065
Erro:
Sem comunicação com a internet.

ERRO: POP3 E SMTP MSG: ERRO DE TCP/IP N.º DO ERRO 0X800CCC15
Erro:
Sem comunicação com a internet.

ERRO: SMTP ERRO: 0X800CCC78 OU 0X800CCC79
Erro:
A MENSAGEM NÃO PODE SER ENVIADA PORQUE UM DOS DESTINATÁRIOS FOI REJEITADO PELO SERVIDOR.
Solução: Autenticar no POP3 provedor, verificar se o SMTP configurado é do provedor, verificar se não tem mais de 200 destinatários.
Se tudo estiver OK, fazer um teste no webmail ou no OE e verificar se envia para o destinatário recusado.

ERRO: POP3 N.º DO ERRO 0X800C0131 ERRO DESCONHECIDO ( NÃO É POSSÍVEL RECEBER E-MAILS )
Erro:
Espaço insuficiente no disco rígido ou a pasta itens enviados esta danificada.
Solução: Excluir o arquivo “Caixa de entrada.dbx”

ERRO: SMTP N.º DO ERRO 0X800C0131 ERRO DESCONHECIDO ( NÃO É POSSÍVEL ENVIAR E-MAILS )
Erro:
Espaço insuficiente no disco rígido ou a pasta itens enviados esta danificada.
Solução: Excluir o arquivo “Itens Enviados.dbx”

ERRO: SMTP N.º DO ERRO 0X800CCC67 ERRO DESCONHECIDO ( NÃO É POSSÍVEL ENVIAR E-MAILS )
Erro:
Seu computador ou sua rede está conectado à Internet usando um roteador Linksys BEFSR41, BEFSR81 ou BEFW11S4.
O e-mail que você está tentando enviar contém um anexo ou foi escrito usando o Microsoft Word.
Solução: Excluir o email de saída e criar outro.

N.º DO ERRO 0X800CCC90 OU 0X800CCC91
Erro:
Erro ao fazer logon com o servidor de email. “A senha foi recusada”.

0X800CCC90 OU 0X800CCC18
Erro:
Não foi possível conectar-se ao servidor usando a autenticação de senha de segurança.
Solução: Desmarcar efetuar logon usando autenticação de senha de segurança.

ERRO DE SOQUETE: 10053 N.º DO ERRO: 0X800CCC0F
Erro:
Possível instabilidade na caixa postal ou no servidor.

N.º DO ERRO: 0X8004210B (MICROSOFT OUTLOOK)
Erro:
Ao enviar e receber” detectou um erro (0x8004210B) : “A operação excedeu o tempo de espera de uma resposta do servidor de envio de correio (SMTP)
Solução: Configuração do servidor pop3 ou smtp esta incorreta, a porta do servidor esta bloqueada, esta ligado a um servidor, ou esta sem comunicação com a internet.


N.º DO ERRO: 0X80040116 (MICROSOFT OUTLOOK)
Erro:
Erro desconhecido ( Não é Possível Receber E-mails )
Solução: Localizar o arquivo Outlook.pst e renomear para OLD.pst

N.º DO ERRO 0X80042108 (MICROSOFT OUTLOOK)
Erro:                            O Outlook não consegue conectar-se ao seu servidor de e-mail POP3 de mensagens recebidas.
Possíveis causas: Sem comunicação com a internet.
Existem arquivos corrompidos em seu disco rígido. Você está executando o Norton Personal Firewall 2002.
Você está executando software Norton Internet Security.
Você instalou uma atualização do Microsoft Office XP.

CLIENT HOST REJECTED: TEMPORARY UNAVAILABLE
Erro: O endereço eletrônico recusado foi “user@provedor.com.br”. Assunto “Re: Assunto”, Conta: “Nome”, Servidor: smtp.provedor.com.br”, Protocolo: SMTP, Resposta do servidor: “554 <IPSERVIDOR>:
Client host rejected: Temporary Unavailable”, Porta: 25, Segura (SSL): Não, Erro do servidor: 554, Nº do erro: 0x800CCC79
Causa: A mensagem não pôde ser enviada porque um de seus destinatários foi recusado pelo servidor.

FONTE: http://www.agenciadix.com.br/ajuda/site/index.php?faq=218&sid=codigos-de-erros-comuns-do-outlook-expresse-e-microsoft-outlook.html

Como registrar DLL no windows 2008 server (make sure…)

Standard

Os sistemas 64 bits estão tomando conta do mercado, e com eles algumas dificuldades novas. No windows server 2008 Standart 64 bits, ao tentar registrar uma DLL com o comando regsvr32 “nome da dll” na opção executar obtive a seguinte mensagem:

Talvez o módulo “Nome da DLL” não seja compatível com a versão do Windows que você está executando. Verifique se ele é compatível com uma versão x86 (32 bits) ou x64 (64 bits) do arquivo regsvr32.exe.

Isso acontece pois quando você chama o comando sem especificar o local, ele usa o regsvr32 de 64 bits. Para usar o de 32 bits existe alguns paços a serem seguidos.

Depois de uma pesquisa na net encontrei uma solução estapafúrdia para o problema que consiste em você abrir o prompt de comando, acessar a pasta c:\windows\syswow64 e ai realizar o registro das dlls. Simples mas ao mesmo tempo difícil caso não se tenha essa informação. Acho que ao invés de retornar essa mensagem o windows deveria dizer algo assim:

Ó seu mala, Essas dlls antigas devem ser registradas acessando a pasta c:\windows\syswow64 pelo prompt de comando e digitando logo após o comando regsvr32 “nome da sua dll”.

Bom, como o mundo não é perfeito, fica aqui minha dica com as devidas referências ao FAQ da microsoft que foi onde encontrei essa informação.

Cordialmente;

Claudir Pereira dos Santos

T.I.

Matelândia, 29/06/2009.

Referências

http://support.microsoft.com/kb/282747/en-us

100% retirado de: http://claupers.spaces.live.com/blog/cns!80F64739372147EE!521.entry

Como saber a senha do administrador do Plesk em um windows server 2003 ou 2008 (webedition, enterprise, standard, datacenter)

Standard

Para saber a senha do administrador do Plesk em um windows server 2003 ou 2008 (webedition, enterprise, standard, datacenter) basta rodar o seguinte comando:

C:\””PASTA DE PROGRAMAS””\SWsoft\Plesk\admin\bin\plesksrvclient.exe” -get (no 2003)
“C:\””PASTA DE PROGRAMAS”\Parallels\Plesk\admin\bin\plesksrvclient.exe” -get (no 2008).
Abraços.