Como instalar sistemas operacionais remotamente pelo Windows 2003 Server

Standard

AP754 – RIS – Serviços de Instalação Remota

Autor: Hélio Galvão
Publicação: 18/Agosto/2006

Overview

Em grandes redes corporativas, instalar sistemas operacionais nas estações pode ser um processo lento e trabalhoso. Pensando na questão da automação, da padronização e também da centralização de informações, a Microsoft desenvolveu o RIS, encontrado em algumas versões do Windows Server.

O RIS (lê-se “rís”) é uma ótima ferramenta administrativa, que de uma forma resumida, armazena a imagem* de um determinado sistema operacional e permite que clientes conectados através da rede instalem este sistema sem a necessidade de CD’s e/ou disquetes**.

Irei abordar neste artigo a instalação do Windows XP Professional com base em um Servidor Windows 2003 Standard Edition, no modo de idioma nativo (português) e em modo “multi-language”, para os casos em que o idioma do servidor for diferente do cliente (e vice-versa).

Ex.: Windows Server 2003 em inglês e Windows XP Pro em português.

*Na verdade, quando falamos imagem, pensamos em um arquivo como o gerado pelo Norton Ghost©, porém neste caso, a “imagem” nada mais é que o CD de instalação do sistema operacional alocado em um diretório definido pelo usuário.

**O disquete será necessário em um caso específico que abordaremos adiante.



Solução

:: Itens necessários para utilização do RIS ::

-Servidor Windows com Active Directory® e zona integrada* ao AD;
(o servidor pode ser controlador de domínio ou membro dele)
-Servidor DHCP ativo e autorizado;
-Espaço em disco no servidor para armazenarmos os arquivos do Windows XP;
-CD de instalação do Windows XP Professional;
-CD de instalação do Windows 2003 Std. Edition;
-CD de instalação do Windows 2000 Professional (opcional);
-Cliente com placa de rede (NIC) que suporte o recurso PXE ou placa de rede com suporte** ao disquete de inicialização do RIS;

*Muitos tutoriais e artigos não informam, mas a zona DNS deve ser preferencialmente integrada ao AD. No Windows Server 2003, ao elegermos um DC, a zona criada fica integrada ao AD, por padrão.

*Confira a lista de adaptadores de rede compatíveis com o disquete de inicialização do RIS mais adiante neste tutorial.

PXE = Pre-Boot Execution Environment

Acesse o link: http://en.wikipedia.org/wiki/Preboot_Execution_Environment e obtenha maiores informações sobre PXE.

:: Sistemas operacionais suportados para se efetuar a instalação remota ::

-Windows XP Professional;
-Windows Server 2003, Standard, Enterprise x32 e x64, e Web Editon;
-Windows 2000 Professional, Server e Advanced Server.

Info: Os dados acima foram retirados do site da Microsoft.

Nota: Recomendo para testes o VMWARE, pois sua interface de rede suporta o PXE.

:: Iniciando o Trabalho ::

Acesse a ferramenta “Adicionar ou Remover Programas” no Painel de Controle do Windows 2003. Clique em “Adicionar ou Remover Componentes do Windows”. Ao abrir a lista, procure pelo item “Serviços de Instalação Remota” e instale-o. O CD do Windows Server será solicitado para finalização desta tarefa.

1

Ponto-Chave: Verifique se o servidor DHCP está OK, bem como DNS, pois são cruciais para que o cliente encontre os serviços na rede.

Recomendo reiniciar o servidor após instalar o RIS. Em alguns testes, o serviço não pôde ser contatado, e não descobri por que. De fato o sistema nem pede para ser reiniciado, então por uma questão óbvia não o fiz, mas (…)

Após reiniciar o servidor, abra as Ferramentas Administrativas e clique sobre o item “Programa de Instalação dos Serviços de instalação remota”.

2

Por se tratar de um primeiro acesso, será aberto um assistente, o clássico “next next finish”, mas algumas opções têm sua importância. Reserve um minuto e veja abaixo a lista que o assistente solicita para o RIS.

3

Especifique o local físico para armazenar as imagens (arquivos de instalação) dos sistemas operacionais que estarão disponíveis para os clientes. Uma boa prática é colocar em um HD separado, ou então, em uma outra partição. Tenha em mente que o que será mais usado é: transferência de dados (rede/disco).

4
Na tela abaixo, marque a primeira opção, caso contrário os clientes não encontrarão o serviço na rede.

5

Nesta parte, insira o CD do Windows XP Professional. O assistente copiará os arquivos para o diretório das imagens, especificado anteriormente.

6

Abaixo será solicitado que o usuário entre com o nome do diretório onde os arquivos de instalação ficarão armazenados. Por padrão, o sistema retornou o nome “WINDOWS”, mas achei um tanto genérico e renomeei para “WINXP”. Não utilize nomes grandes, dê preferência a algo simples e intuitivo, como WIN2KPRO, WIN2K3S, WIN2K3W.

7

Na descrição da imagem, deixei a mensagem padrão.

8O
Após conferir os dados…

9

…o assistente começa a cópia dos arquivos localizados no CD-ROM.

10

Após a cópia, teremos finalizado praticamente a parte mais longa da tarefa de preparação de nosso serviço de instalação remota. Na próxima parte, utilizaremos nosso tempo para realizar uma “autópsia”, com o intuito de simplificar e descobrir algumas coisas do RIS.

:: Diretórios Utilizados pelo RIS ::

Caso não lembre, definimos o diretório D:\RemoteInstall para abrigar os serviços disponíveis através do RIS. Este diretório é compartilhado por padrão, com o nome de REMINST. Nota: Não é necessário alterar NADA em suas permissões.

Na figura abaixo, destacarei apenas um arquivo, o rbfg.exe. Este pequeno executável é o Gerador de Disquete de Instalação Remota para interfaces de rede que não possuem o ROM de boot remoto (PXE). Lembre de consultar a lista de compatibilidade, pois nem todas as interfaces suportam este recurso. Se a interface a ser utilizada não é compatível, não perca tempo gerando o disquete. O arquivo riprep.exe será debatido em outro artigo, mas para os curiosos, este utilitário é um gerador de imagem de sistema operacional, mas já com aplicativos instalados. Não falaremos sobre ele, pois será necessário um breve bate-papo sobre HAL, MassStorage Devices, ChipSets (…)

Info: Para consultar a lista de interfaces compatíveis, execute o rbfg.exe e clique sobre o botão “Lista de Adaptadores”.

11

No diretório abaixo, localizamos dois arquivos com a extensão .osc. Mais adiante falaremos sobre estes arquivos, que nada mais são que as telas de instalação que serão visualizadas pelos clientes RIS.

12
Abaixo, podemos ver o diretório onde estão armazenados os arquivos de startup do cliente, que serão executados no ambiente “pre-boot”. Quando o cliente inicia a máquina e pressiona F12 para que o boot seja efetuado pela rede*, a interface busca um IP via DHCP e inicia todo o processo, solicitando novamente que se pressione F12 ao encontrar um serviço disponível.

13

Dica: Caso queira automatizar um pouco esta inicialização, renomeie o arquivo startrom.com para startrom.old e o arquivo startrom.n12 para startrom.com. Desta maneira, não será necessário pressionar F12 após ter um IP atribuído e o serviço encontrado.

Info: *Em algumas situações será necessário definir na BIOS que a interface de rede participe do processo de BOOT, caso contrário não conseguiremos conexão cliente-servidor. Ex.: Um determinado PC já possui um sistema operacional instalado e não apresenta a opção de BOOT pela rede através do F12. Na BIOS foi definido que a interface de rede não participa da seqüência de boot, ou até participa, mas em uma posição posterior ao HD/CD/Floppy. O que ocorrerá é que o HD por já possuir um S.O, “não dará chance” ao usuário iniciar o processo pela rede.

No diretório marcado abaixo, podemos ver mais arquivos .osc, que são as telas de instalação do RIS, vistas pelo cliente, para o idioma “Portuguese”.

Nota: Estas telas estão em inglês, e adiante veremos como customizá-las.

14

Na figura a seguir, vemos um diretório de extrema importância, que é o “templates”. Este diretório armazena o arquivo ristndrd.sif, que é um arquivo de respostas para instalações automatizadas do Windows.

15

Info: Após gerar a imagem, o RIS cria um arquivo de respostas padrão, localizado em RemoteInstall\Setup\Portuguese\Images\WINXP\i386\templates, porém podemos criar um NOVO arquivo de respostas, substituindo o atual OU utilizando-o como mais uma opção na instalação automatizada. Veremos adiante como fazer isso, inclusive oferecendo ao usuário opções de instalação (automática, customizada – onde se pode definir o nome da maquina, ou a terceira opção, que é continuar uma instalação mal-sucedida e também a opção de manutenção – que não será abordada neste artigo).

:: Conhecendo, Editando e Preparando as Telas de Instalação do RIS ::

Procure pelo diretório D:\RemoteInstall\OSChooser e verifique os arquivos com extensão .osc. Abra algum deles com o bloco de notas, e verá que é bem parecido com HTML.

Sim, podemos padronizar estas telas, obedecendo claro, sua sintaxe. Estes arquivos, como dito anteriormente, são as telas que o cliente utilizará durante todo o processo oferecido pelo RIS.

No momento em que o cliente encontra o serviço disponível na rede e o executa, a primeira tela a ser mostrada é D:\RemoteInstall\OSChooser\welcome.osc. A partir deste item, o usuário segue para outras telas, de acordo com o que for definido como padrão ou de acordo com suas escolhas. Basicamente é isto que ocorre.

Ponto-Chave: Volte a consultar este tópico no momento em que formos instalar o sistema no cliente.

Após ligeira explicação, trataremos em primeiro plano a instalação no modo de nosso idioma nativo (português, sendo único idioma disponível).

Ao passar pela primeira tela (welcome.osc), seguiremos para D:\OSChooser\Portuguese\login.osc, onde precisaremos autenticar o usuário que fará a instalação. Veremos isso durante o processo cliente.

As próximas telas referem-se às opções de instalação e serão descritas no próximo tópico: “Automação com Arquivos de Respostas e Opções de Instalação”.

No modo multi-language (2 ou mais idiomais disponíveis), precisamos renomear o arquivo D:\RemoteInstall\OSChooser\welcome.osc para algo diferente, como welcome.old, copiar o arquivo multilang.osc como welcome.osc, e depois editá-lo, de acordo com as opções de idiomas que desejamos oferecer. Observe atentamente a sintaxe, os exemplos presentes no arquivo modelo são bem claros.

A diferença agora é que ao acessar o serviço, o cliente verá uma tela de boas vindas (welcome.osc) com as opções de idioma definidas pelo administrador (é, você mesmo!). O restante segue o padrão explicado acima, mas lembre que o diretório referente ao idioma selecionado deve existir em \RemoteInstall\OSChooser\[Idioma] contendo os arquivos .osc.

Ex.: Para o Francês: \RemoteInstall\OSChooser\French

Além disso, dentro do diretório criado para as imagens, deve haver algum Sistema Operacional disponível para o idioma que você definiu, caso contrário não fará muito sentido!
:: Automação com Arquivos de Respostas e Opções de Instalação ::

Como mencionado anteriormente, o RIS gera um arquivo de respostas padrão, chamado ristndrd.sif.

Podemos utilizar o setupmgr.exe para gerar um novo arquivo de respostas para o RIS. Caso não esteja familiarizado com esta ferramenta, não se preocupe. É bem simples e nada que 15 minutos de estudo não resolva. Esta ferramenta é encontrada no CD do Windows XP, em \SUPPORT\TOOLS. Procure por Deploy.CAB e extraia seu conteúdo para um diretório qualquer em sua máquina, de preferência com o nome “Deploy” mesmo! Ao gerar o arquivo de resposta pelo setupmgr.exe (utilizando a opção do RIS, claro!), podemos associá-lo a uma imagem já presente no diretório de distribuição, inserindo o arquivo como mais uma opção, ou então substituindo o arquivo padrão que foi gerado (ristndrd.sif). Temos duas opções, e a mais fácil é colocar o arquivo diretamente na pasta a seguir:

D:\RemoteInstall\Setup\Portuguese\Images\WINXP\i386\templates

Nota: Mesmo que o usuário defina um nome de computador no arquivo de respostas, este não será utilizado, e veremos adiante como isso será feito. Caso queira averiguar, gere o arquivo definindo um nome de computador. Abra o arquivo de respostas com o bloco de notas e veja que o nome de computador é uma variável!

A outra opção para associar um arquivo de respostas é mais trabalhosa, mas caso a queira utilizar, acesse “Usuários e Computadores do Active Directory” e procure pelo computador onde o RIS está instalado. Acesse suas propriedades e clique na aba referente à Instalação Remota.
Clique em “Opções Avançadas” e depois na aba “imagens”. Clique no botão “adicionar” e siga o assistente. Tudo que ele fará é copiar o arquivo de um local X para o local Y, no caso, o diretório:

D:\RemoteInstall\Setup\Portuguese\Images\WINXP\i386\templates

As figuras a seguir demonstram o passo-a-passo do procedimento descrito acima, além de mostrar o que discutimos sobre o nome do computador & variáveis.

16
Acesse as “Configurações Avançadas”…

17

…verifique a questão do “formato de nome do computador”…

18

…e as imagens/arquivos de resposta na aba “imagens”.

19

Antes de falarmos sobre as opções de instalação, vale lembrar que só estarão disponíveis caso o administrador as defina nas diretivas de grupo do domínio em questão. Edite esta diretiva, procurando na seção “Configuração do Usuário > Configurações do Windows > Serviços de Instalação Remota”. Não tem como errar! Faça as alterações necessárias, vamos adiante e lembre-se: não abordaremos a opção “Ferramentas”!

Ponto-Chave: Volte a consultar este tópico no momento em que formos instalar o sistema no cliente.

Instalação Automática: Nesta opção, a instalação utilizará as configurações de nome e localização da conta de computador de acordo com o que for definido na tela de configuração do RIS (Usuários e Computadores do Active Directory > Propriedades do Computador que abriga o RIS > Aba de Instalação Remota). Logo na primeira tela podemos encontrar as convenções de nome que podem ser utilizadas. Alguns exemplos: nome do usuário, número seqüencial, ou alguma seqüência de caracteres customizados.

Nota: Caso as diretivas não estejam definidas, esta será a única opção do usuário, e entrará automaticamente.

Instalação Customizada: Nesta opção, a instalação utilizará as configurações de nome e localização da conta de computador definidos pelo usuário. É uma ótima opção, pois é uma boa prática das empresas criarem um padrão de nomes para os computadores de acordo com o setor, etc. Assim o usuário ficará livre para utilizar um nome mais apropriado, de acordo com sua necessidade.

O próximo passo é a escolha do Sistema Operacional a ser instalado, porém, como criamos apenas uma imagem, não veremos outras opções. Caso queira, adicione posteriormente uma nova imagem, do Windows 2000 Pro, por exemplo. Leia no final deste documento o tópico extra sobre este assunto.

Caso queira adicionar outra imagem agora, veja na figura abaixo o assistente:

20

Voltando à nossa instalação, perceba que na tela em que escolhemos o sistema operacional, escolheremos na verdade qual arquivo de respostas será utilizado.

Ex.: Se possuo dois arquivos de respostas distintos, para instalação do Windows XP Pro, a instalação disponibilizará DUAS opções para este sistema operacional, mas a imagem que criamos é única, portanto o Windows XP será instalado a partir desta imagem, porém de acordo com o arquivo de respostas escolhido. Pode parecer confuso, mas a idéia é simples. O que ocorre, é que o processo é transparente para o usuário do serviço.

Dica: Edite o arquivo de respostas com o bloco de notas e altere sua descrição (no final do arquivo) para que fique algo documentado, resumidamente. Ex.: “Windows XP Pro SP2 com teclado ABNT2” ou “Windows XP Pro SP1 padrão”.

Após definir qual sistema será instalado, chegamos praticamente ao propósito final e teórico do RIS! No próximo tópico, faremos a instalação completa e automatizada de uma estação Windows XP Professional utilizando nosso servidor RIS!

:: Instalação do Cliente ::

Espero que já tenha preparado seu ambiente de testes! A seguir, podemos ver o boot através da interface de rede, já buscando um endereço via DHCP.

22

A próxima tela, é a famosa “welcome.osc”…

23

…e abaixo, “login.osc”:

24
Perceba que o serviço solicita a entrada de credenciais e informa o nome do domínio ao qual estou conectado, além do nome do servidor RIS, no caso, “MARGE” (isso mesmo, Marge Simpson…)

Na tela a seguir, podemos ver as opções de instalação, definidas via diretiva.

25

Se for escolhida a opção “Automática”, a instalação solicitará apenas que o usuário escolha a imagem a ser utilizada (arquivo de repostas/imagem, como discutido anteriormente). Caso haja apenas um arquivo de respostas/imagem, só haverá uma única opção. No exemplo abaixo, deixei o arquivo gerado pelo RIS e criei um personalizado, que já inclui a modesta chave do Windows, além de outras opções.

Lembre que nesse caso, o NOME da máquina será gerado de acordo com o padrão definido nas opções no Servidor RIS!

26

Se for escolhida a opção personalizada (custom setup), o usuário terá a liberdade para definir alguns parâmetros como Nome e localização da conta do Computador no domínio. Se colocarmos apenas o nome do computador, a conta será criada na Unidade Organizacional default, que é “Computers”.

27

A opção “Restart a Previous…” serve para continuar uma instalação que não obteve sucesso anteriormente. Se os arquivos básicos de instalação já tiverem sido copiados, estes não serão transferidos novamente.

A última opção refere-se às ferramentas de diagnóstico e resolução de problemas, mas como informado anteriormente, não as abordarei neste artigo.

Na imagem a seguir, recebemos um aviso antes da instalação do novo sistema:

28

Como optei pelo modo automático e também pela imagem associada ao meu arquivo de respostas, a instalação utilizará o arquivo de respostas criado por mim para efetuar a instalação. Perceba que o nome da máquina foi atribuído pela opção definida no servidor RIS e não pelo usuário, o que não ocorre no modo “custom”.

29

Após pressionarmos [ENTER], chegamos à próxima tela, a famosa “text-based installation” do Windows XP. A partir daí, se tudo estiver correto, a instalação será 100% automatizada, sem que você aperte uma tecla sequer.

30

Se você chegou até aqui, parabéns! O Servidor RIS foi implantado com sucesso!
A seguir, faço algumas recomendações básicas e disponibilizei também um tópico extra, para a instalação de novas imagens.

:: Práticas Recomendadas ::

1-Não utilize este recurso sobre redes lentas, ou WANs (que também costumam ser lentas se comparadas às LANs).

2-O RIS utiliza basicamente recursos de transferência de dados, portanto dê preferência a um disco dedicado no servidor.

:: Tópico Extra – Adicionando novas imagens em idioma nativo/não-nativo ::::

Acesse as Ferramentas Administrativas e clique sobre o item “Programa de Instalação dos Serviços de instalação remota.

21

Neste momento, duas opções serão disponibilizadas para o usuário, e escolheremos a primeira (“adicionar uma nova imagem…”). O assistente solicitará que você insira a mídia (ou outro local) contendo os arquivos de instalação do sistema operacional. Insira a mídia e prossiga. As demais opções são básicas e meramente informativas, com exceção de uma, onde o usuário terá que escolher entre três opções definidas por radio-buttons.

Lembre-se: caso queira alterar a descrição, NÃO utilize caracteres especiais (acentos etc.), pois as telas de instalação do RIS (os arquivos .osc) não suportam esta codificação.

Nota: Fique atento apenas na última tela que antecede a cópia do CD, onde o assistente pode ou não questionar o usuário sobre o que fazer com as telas de instalação do RIS.

Ponto-Chave: Caso o Windows pergunte algo sobre “telas de instalação”, marque a opção “utilizar as telas atuais”, caso contrário as telas que foram personalizadas serão substituídas.

Conclusão

Com este artigo/tutorial, mostramos como instalar o Serviço de Instalação Remota (RIS) no Windows Server 2003 .

Fonte: http://www.andersonpatricio.org/Tutoriais/AP754_b.html

One thought on “Como instalar sistemas operacionais remotamente pelo Windows 2003 Server

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.